Saúde do Homem

Tire suas dúvidas sobre ressonância magnética!

janeiro 15, 2019
Tempo de leitura 6 min

Muitas vezes, vamos ao médico e ele pede diversos exames dos quais nem sequer ouvimos falar, não é mesmo? Um dos mais solicitados é a ressonância magnética, por ser capaz de detectar ou confirmar muitos problemas de saúde.

Mas você sabe para que serve a ressonância? Como funciona? Por que o médico recomendou esse exame? Se é preciso usar contraste ou ir acompanhado? Pois é, essas são apenas algumas questões que passam pela cabeça de quem precisa fazê-lo.

Calma, que vamos ajudar você! Neste post esclarecemos as principais dúvidas sobre a ressonância magnética. Continue a leitura para saber mais!

O que é a ressonância magnética?

Trata-se de um exame de imagem de alta definição, capaz de mostrar até mesmo as estruturas internas dos órgãos com bastante nitidez. Por isso mesmo, é o mais indicado para detectar doenças e problemas graves internamente.

Também conhecida como Ressonância Magnética Nuclear (RMN), o exame difere de outros por proporcionar ao médico uma visão mais completa sobre o tamanho, o local e a composição dos tecidos. Além disso, é preciso diferenciá-la em alguns tipos, de acordo com a parte analisada:

  • ressonância intracraniana: analisa o sistema nervoso central, bem como suas formações nervosas, veias e artérias;
  • ressonância do abdômen, do tórax ou da pelve: serve para diagnosticar doenças em órgãos como útero, ovários, próstata, intestino, rins, bexiga, fígado, coração, entre outros;
  • ressonância da coluna: verifica problemas na coluna e medula espinhal;
  • ressonância das articulações: ajuda a analisar tecidos moles, como tendões e ligamentos, em articulações como cotovelos, joelhos e ombros.

Como funciona esse exame?

A máquina funciona com um grande imã, que interage com as células do nosso corpo, formando um grande campo magnético, bem como pulsos de radiofrequência. O aparelho capta a agitação das moléculas do organismo e transmite as informações para um computador.

As imagens são criadas em três planos distintos: vertical, horizontal e outro que divide o corpo em camadas. Não é emitido nenhum tipo de radiação na ressonância magnética, ao contrário de outros exames, como o raio-x. Todo esse processo é feito em cerca de 15 a 30 minutos, sendo um exame bem completo.

Quando a ressonância é indicada?

Pela possibilidade de detalhamento das estruturas corporais, a ressonância é indicada sempre que é preciso verificar com mais afinco algum problema. Assim, o médico pode solicitá-la logo de início ou depois que outros exames ainda não foram suficientes para a visualização do tecido.

De qualquer forma, ela é mais recomendada para o detalhamento das partes moles do corpo, como os músculos e os órgãos. No caso de fraturas ou problemas nos ossos, é melhor usar o raio-x ou a tomografia computadorizada.

Quais problemas ajuda a detectar?

A ressonância pode ser aplicada em partes específicas, como falamos acima, ou em toda a extensão do corpo. Ela ajuda a identificar diversos tipos de problemas, como tumores, infecções, lesões e outras doenças. Dessa forma, pode ser recomendada para detectar:

  • alterações nos vasos sanguíneos, como no caso de coágulos e aneurismas;
  • doenças neurológicas, como tumores cerebrais, doença de Alzheimer, esclerose múltipla ou AVC;
  • lesões osteomusculares, como lesões nos ligamentos, tendinites, cistos (como o de Tarlov) ou hérnias de disco;
  • inflamações ou infecções no cérebro, articulações ou nervos;
  • massas ou tumores em qualquer órgão do corpo.

Como é o preparo para o exame?

A ressonância magnética é um exame muito simples, não exigindo muito preparo, na maioria dos casos. No entanto, pode ser necessário algum tipo de sedação caso o paciente seja claustrofóbico, com demência, esquizofrenia ou não consiga ficar parado.

É necessário destacar que é fundamental ficar totalmente imóvel durante todo o tempo do exame. Sem contar que ele é feito em um tubo magnético, no qual algumas pessoas podem se sentir desconfortáveis, daí a necessidade de um sedativo.

Além disso, pode ser preciso aplicar algum contraste intravenoso, quando a estrutura a ser verificada é de difícil visualização, como os vasos sanguíneos ou tumores. Dessa forma, o procedimento é mais confiável, não sendo necessário realizar outros exames mais invasivos.

O contraste ou a sedação são ministrados na própria sala em que fica a máquina, não precisando de um preparo anterior. Eles são ingeridos via oral ou é inserido um cateter intravenoso antes de entrar na máquina. Depois, essas substâncias são naturalmente eliminadas pelo organismo.

No caso do contraste, existe a possibilidade de alergia, não devendo ser usado, ainda, em pessoas com insuficiência renal ou problemas no fígado, que precisam ser comunicados ao médico prontamente. Também podem ser percebidos outros efeitos colaterais, como sabor metálico, dores de cabeça e uma sensação de calor, mas são passageiros.

Existem efeitos colaterais ou contraindicações?

Pelo fato de não emitir radiação, a ressonância magnética é considerada de baixo risco e não apresenta efeitos colaterais ou contraindicações graves. Contudo, como a máquina funciona com a emissão de ondas magnéticas, não deve ser usada em pacientes com metais pelo corpo.

Assim, não pode ser utilizado em pessoas com pinos (como no caso de fraturas), marca-passos, próteses ou qualquer outro tipo de peça metálica. Até mesmo pessoas tatuadas devem passar por uma checagem antes, uma vez que muitas tintas usadas nas tatuagens contêm ferro ou outros metais na composição.

Também não existe um limite para a realização de ressonâncias durante o ano. Porém, ela é indicada apenas para o diagnóstico quando há uma suspeita e não para os checkups, até por se tratar de um exame com um valor um pouco mais alto em comparação a outros.

Outra dúvida comum é se o paciente deve levar um acompanhante. Nem sempre é preciso, mas é recomendável quando é usada a sedação. De qualquer forma, outra pessoa é bem-vinda para acalmar e fazer companhia durante o exame, que pode trazer tensão e desconforto, dependendo da situação e da suspeita de uma doença grave, por exemplo.

De qualquer forma, a ressonância magnética é um exame completo e bastante seguro. Por isso, é essencial realizá-lo sempre que o médico solicitar. Para tanto, deve-se buscar clínicas confiáveis, que ofereçam uma boa estrutura e os melhores profissionais.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre a ressonância magnética? Precisa fazer esse ou outro exame? Então, entre em contato conosco e marque um horário agora mesmo!

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up