Saúde do Homem

Saúde pública no Brasil: 6 bons motivos para você não depender do SUS

agosto 31, 2018
Tempo de leitura 6 min

Quem depende da saúde pública no Brasil sabe que conseguir atendimento pode ser difícil. Perturbações como sucateamento de hospitais, demora para marcar consultas e falta de materiais e equipamentos são algumas das adversidades encontradas por quem procura ajuda pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Instituído pela Constituição Federal de 1988, o SUS foi originalmente desenvolvido com base nas diretrizes da seguridade social, com uma noção abrangente de direito e proteção social. Entretanto, a falta de planejamento concreto para seu desenvolvimento fez que o programa se tornasse um problema.

Pelo caos em que ele se transformou, a existência de clínicas médicas particulares é hoje a saída para quem procura melhores condições de atendimento.

Neste post, explicamos um pouco mais sobre a saúde pública no Brasil. Além disso, oferecemos seis bons motivos para que você não dependa do SUS. Boa leitura!

1. Demora ou filas no atendimento

Quando se está doente, tudo o que se quer é um atendimento ágil. Isso quer dizer chegar ao hospital, consultório ou posto de saúde e ser prontamente atendido. Quem depende do SUS, porém, sabe que na maioria das vezes não é isso que acontece.

A depender do grau de emergência em que você se encontra, pode levar horas para que seja atendido e meses para que consiga uma consulta com um especialista. Sem contar que algumas especialidades ou exames específicos não são ofertados em todas as unidades.

Quando um consultório ou hospital da rede pública está fechado por algum motivo, as opções a ele ficam ainda mais cheias. Com isso, o tempo de espera — que já é longo — acaba sendo multiplicado.

2. Atendimentos pouco humanizados

Uma das queixas de quem procura um médico na rede púbica é que, na hora da consulta, recebe pouca atenção dele: parece que ele não ouve o que o paciente fala ou não se importa com seus sintomas. Esse é um atendimento pouco humanizado.

Quando se vai a um hospital ou posto de saúde que está muito cheio ou em que o especialista já está de plantão há algum tempo, é comum que ele esteja estressado ou desinteressado. Com isso, a consulta que deveria levar 20 minutos dura apenas cinco e o paciente sai com um diagnóstico qualquer e muitas vezes com um remédio errado.

Além disso, muitas investigações de sintomas requerem exames para confirmação e isso, infelizmente, é frequentemente negligenciado pelo clínico que atende o paciente.

3. Falta de equipamentos e instrumentos

Infelizmente, é comum que faltem equipamentos e instrumentos necessários para consultas, exames e procedimentos em hospitais e clínicas públicas. Com a carência de investimentos, muitos itens escassos acabam ignorados — e isso não só atrasa exames, mas também prejudica os pacientes.

Com pouca verba e um número de usuários cada vez maior, há poucos leitos e macas para atendimento. Muitos indivíduos são, então, alojados em corredores ou no chão das unidades enquanto esperam pelo serviço. Em alguns locais, não há remédios e equipamentos para a realização de internações e o acompanhamento de doenças.

4. Remuneração baixa e inconstante

Quem procura um hospital ou posto de saúde público corre o risco de se deparar com servidores em greve. Isso acontece porque, em alguns lugares, médicos, enfermeiros e funcionários públicos são mal remunerados — isso sem contar os atrasos de dias, semanas ou até meses no pagamento dos salários.

A depender do setor de atuação, os profissionais de saúde contratados pelo governo podem ser submetidos a longas jornadas de plantão. Isso prejudica os pacientes, já que médicos e enfermeiros cansados não dão a atenção necessária a eles e, muitas vezes, descontam sua insatisfação nos enfermos.

A falta de pagamento de funcionários prejudica, ainda, procedimentos e cirurgias. Com a alta demanda de pacientes, os profissionais não dão conta de atender a todos, o que faz que as filas fiquem cada vez maiores.

5. Profissionais menos qualificados

Quem procura um médico, seja um clínico geral, seja um especialista, em geral dá preferência para indicações. No SUS, não há essa opção: quem atende é o profissional que está disponível.

Muitos especialistas da área optam por trabalhar em clínicas ou hospitais particulares. O governo, então, contrata quem está disponível e há chances de que esses médicos sejam pouco qualificados por terem estudado em instituições que não oferecem o suporte educacional necessário.

Profissionais qualificados são necessários em qualquer segmento. Na medicina, que engloba cirurgias e procedimentos complexos que lidam diretamente com a vida humana, a falta deles pode causar complicações e até morte.

6. Pouca segurança e conforto

Procurar um médico ou ir a um hospital nem sempre é fácil. Quem está doente geralmente se sente assustado e deprimido, e pensar em entrar em um local pouco acolhedor não melhora em nada a situação.

Instituições de saúde mantidas pelo governo tendem a ser menos protegidas e confortáveis. Isso acontece pelo baixo volume de investimentos, o que causa a falta de condições para aumentar a segurança — de todos os tipos — e fazer que os pacientes se sintam acolhidos.

Em alguns hospitais, chegam a faltar itens de necessidade básica, como água potável, chuveiro, sabonete e vaso sanitário. Quando a saúde pública no Brasil é analisada, percebe-se que atendimentos e tratamentos básicos são mal acompanhados e administrados.

Muitos pacientes que ficam em filas por dias, meses e até anos enquanto esperam por atendimento, morrem pela falta dele. E há, ainda, as unidades de saúde que não têm estrutura nem condição de receber pacientes e oferecer comodidade a eles.

Em consequência de todos os problemas e situações adversas do SUS, cada vez mais pessoas procuram alternativas para ter melhores condições de vida e saúde. Algumas dessas possibilidades são as clínicas médicas particulares, que oferecem diversos tipos de especialidades e exames de maneira segura e com qualidade.

E aí, achou interessante conhecer mais sobre a saúde pública no Brasil? Você conhece outros motivos para não depender do SUS? Se estiver em busca de uma alternativa de qualidade para cuidar de sua saúde, entre em contato conosco para saber como podemos ajudá-lo a escolher a melhor opção para o seu caso.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up