Saúde do Homem

Saiba como se preparar para a primeira consulta ao cardiologista

dezembro 20, 2018
Tempo de leitura 9 min

Um encaminhamento para consulta com cardiologista, não raro, gera uma ansiedade enorme. Isso acontece porque, sabendo que o coração é nosso órgão vital, tendemos a pensar que estamos desenvolvendo uma doença grave e irreversível.

Acontece que, justamente pela importância da saúde cardiovascular para o bem-estar de todos os outros sistemas, não deveríamos sequer esperar a suspeita de algum problema no coração para procurar essa especialidade.

Consultar rotineiramente um cardiologista é importante para detectar precocemente problemas muito prevalentes como arritmias, sopros e hipertensão. Neste texto, tiramos algumas dúvidas sobre quando procurar essa especialidade e como se preparar para sua consulta. Boa leitura!

Quais são os sintomas mais comuns das doenças do coração?

Você não precisa esperar a indicação de um clínico geral para marcar uma consulta com cardiologista, muito menos que alguma doença apareça. Na sequência, apresentamos alguns sinais e sintomas aos quais é preciso sempre estar atento.

Cansaço em repouso e falta de ar noturno

A sensação de cansaço mesmo em repouso e acordar à noite com uma imensa sensação de dificuldade para respirar são alguns dos sintomas clássicos da insuficiência cardíaca congestiva. A hipertensão mal controlada ao longo de muitos anos e disfunções das válvulas cardíacas podem evoluir para ICC.

Essa doença indica que há uma dificuldade do coração em bombear o sangue, gerando congestionamento dos vasos e acúmulo de líquido nos membros inferiores. Além disso, pode-se perceber o inchaço dos pés e das pernas.

Dispneia aos pequenos esforços

Esse é o nome técnico que se dá à falta de ar ao fazer atividades comuns do dia a dia que não costumavam provocar mal-estar, como pentear os cabelos ou varrer embaixo da cama.

A dispneia aos pequenos esforços é um sintoma característico da doença pulmonar obstrutivo-crônica (DPOC), uma doença que evolui gradativamente ao longo de anos e é típica de fumantes.

Nela, os alvéolos pulmonares são destruídos, fazendo com que o ar que entrou após uma inspiração não saia por completo. Com o tempo, o pulmão passa a ficar constantemente cheio de ar pobre em oxigênio, sendo preciso fazer muito esforço para respirar.

Dor no peito frequente ou em momentos específicos

A dor anginosa típica, aquela que nos faz pensar na iminência de um infarto, tem caráter opressivo, isto é, transmite uma sensação de pressão. Ela aparece, geralmente, no centro do peito, mas pode irradiar para o braço, para o ápice do estômago e para o pescoço, podendo estar acompanhada de suor excessivo e palidez.

A dor costuma piorar com o esforço e melhorar com o repouso e as crises têm duração breve. O infarto indica que parte do coração não está sendo oxigenada corretamente e está entrando em isquemia (falta de oxigênio). Isso pode acontecer devido à obstrução de um vaso coronariano pela presença de placas de gordura.

Quando consultar um cardiologista?

Mesmo que você não tenha nenhum dos sintomas acima, é preciso ficar atento a outro fator importantíssimo: o histórico familiar. Se você tem casos próximos de pessoas com diabetes, hipertensão ou de morte súbita na família, então a consulta com o cardiologista torna-se necessária e indispensável.

Os médicos recomendam que os homens façam exames cardiológicos a partir dos 45 anos e as mulheres aos 50. Caso o paciente apresente histórico familiar favorável ao surgimento de doenças do coração, a idade deve ser reduzida para 30 anos para os homens e 45 para as mulheres.

Pessoas que têm alguma doença diagnosticada (como diabetes e pressão alta) ou já tiveram algum problema de coração, por sua vez, devem ir ao cardiologista periodicamente.

Como prevenir as doenças cardíacas?

Algumas doenças cardíacas são congênitas, ou seja, você nasce com alterações. É o caso de alguns tipos de sopro, defeitos de válvulas e persistência de estruturas que deveriam ter regredido na infância. No entanto, esse não é o caso da maioria da população.

As doenças cardíacas mais prevalentes estão quase sempre ligadas a maus hábitos alimentares e ao sedentarismo. Hoje, é muito evidente que um estilo de vida saudável pode prevenir a maioria desses problemas.

Outra forma de prevenir complicações como a insuficiência cardíaca congestiva e o infarto é fazendo o bom controle das doenças de base por meio de medicamentos. Geralmente, pacientes que complicam são aqueles que possuem placa de ateroma (gordura) ou hipertensão, mas passam anos com a doença descontrolada por não fazerem o tratamento adequado.

Como se preparar para a consulta com cardiologista?

Não há razão para medo: a consulta com o cardiologista é como qualquer outra. O médico faz uma série de perguntas e você deve responder todas com muita sinceridade para que o diagnóstico seja o mais preciso possível.

Vale lembrar que os médicos aconselham que os pacientes usem roupas que não dificultem a execução dos exames, portanto, use camisas de botão e de mangas largas quando for ao cardiologista.

A medida da pressão arterial é um dos dados mais importantes em uma consulta com cardiologista e precisa seguir uma série de parâmetros para que não seja falseada. Para isso, você não deve:

  • estar com a bexiga cheia;
  • ter praticado exercícios físicos nos últimos 60-90 minutos;
  • ter ingerido bebidas alcoólicas, café ou outros alimentos estimulantes nos últimos 30 minutos;
  • ter fumado nos últimos 30 minutos.

Depois de coletar todas as informações necessárias, o cardiologista provavelmente vai submetê-lo a realizar alguns exames. Todos eles são simples, rápidos e muitas vezes são feitos dentro do consultório do cardiologista. Para que você fique mais tranquilo, entenda quais são os mais importantes a seguir.

Ecocardiograma

Nada mais é que um ultrassom específico do coração que coleta uma série de imagens das suas estruturas e seu movimento para que seja feita a análise do tamanho das cavidades, válvulas cardíacas e outras estruturas.

Eletrocardiograma

Exame em que se coloca alguns eléctrodos sobre o peito do paciente para que os batimentos do seu coração sejam registrados. Embora simples e barato, é um exame extremamente importante e rico em informações.

Teste ergométrico

Teste que detecta qualquer problema que o indivíduo possa ter quando está fazendo algum esforço físico. Para isso, o paciente precisa correr na esteira ou andar de bicicleta durante o exame.

Ressonância magnética

Trata-se do exame que obtém imagens de todo o tórax. Além disso, lembre-se: todos os exames relevantes que você já tenha feito antes devem ser levados na consulta ao cardiologista para que ele possa entender melhor o seu caso, pois são úteis para avaliar a progressão ou a regressão de uma doença, por exemplo.

Quais são as doenças cardiovasculares mais comuns?

Infelizmente, o número de pessoas que sofrem de alguma doença cardiovascular do Brasil é muito alto, e por isso é tão importante que você procure o cardiologista. As doenças mais comuns entre os pacientes são:

Arritmia

É quando o coração bate de maneira irregular ou fora do comum. Por exemplo, quando o paciente costuma ter batimentos mais acelerados e eles caem abruptamente, ou o contrário.

Insuficiência cardíaca

Quando o coração tem dificuldade para bombear o sangue necessário para todo o corpo. Existem mais de 2 milhões de casos por ano no Brasil.

Infarto

Geralmente, ocorre porque um coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo para o coração. A parte que fica sem sangue perde oxigênio e o tecido morre, causando o infarto. São registrados mais de 150 mil casos por ano no Brasil.

Como escolher um bom profissional?

Além de pesquisar sobre o profissional e instituições de formação, você deve estar atento às questões mais práticas. Em primeiro lugar, busque conhecer a estrutura do consultório e de quais equipamentos ele dispõe. Um consultório ou clínica bem equipados poupam muito esforço porque permitem que alguns exames sejam feitos ali mesmo.

Além disso, você pode procurar por avaliações de satisfação dos pacientes em ferramentas já disponíveis on-line. Um médico que foi bem avaliado por outros pacientes tende a oferecer um atendimento mais humanizado e a ter condutas de sucesso.

A confiança no profissional é um aspecto central no cuidado à saúde, porque você só estará motivado a executar de forma perfeita as orientações se o médico construir uma boa relação durante a consulta.

Por fim, é pertinente dizer que, embora existam muitas opções de exames laboratoriais e de imagem complementares, nem sempre eles serão necessários. Por isso, não se assuste se você sair do consultório sem todos os pedidos que você imagina.

Existem indicações específicas para cada um desses exames e fazê-los sem necessidade pode expor à radiação e a outros agentes agressivos sem que haja benefício. O bom médico valoriza a entrevista completa, o exame físico com o paciente e sabe pedir só os exames complementares que são realmente necessários.

A maioria das pessoas só agenda uma consulta com o cardiologista quando já estão sofrendo com algum problema cardíaco. O ideal é que você fique atento aos sinais e marque a consulta com antecedência. Afinal, quanto mais cedo uma doença for diagnosticada, mais fácil ela será tratada.

O maior medo dos cardiologistas, na verdade, é que o paciente deixe de fazer a abordagem de problemas mais simples e tratáveis e acabe evoluindo, por negligência, para uma condição crônica irreversível ou para um evento imprevisível, como um infarto.

Agora que você já sabe mais sobre o que vai acontecer na sua primeira consulta com cardiologista, não há mais motivos para temer essa especialidade tão central na medicina.

Achou o texto interessante? Deseja saber mais sobre exames clínicos e consultas com especialistas? Então, não deixe de ler nosso post sobre quando procurar um geriatra. Confira!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up