Saúde do Homem

Refluxo em idosos: conheça as opções de tratamento

dezembro 17, 2018
Tempo de leitura 3 min

Sua digestão funciona perfeitamente ou após as refeições você sente algum desconforto? O alimento parece querer voltar e, muitas vezes, realmente volta? Saiba que esse é o principal sinal do refluxo gástrico, que pode acometer pessoas de qualquer idade.

Aliás, o refluxo em idosos é mais comum do que muita gente imagina e gera uma série de outros sintomas indesejados. Logo, a qualquer indício de que algo está errado, é preciso procurar o médico para tratar o problema, que pode levar a sérias complicações.

Neste post, vamos explicar o que é refluxo em idosos, qual a causa, os principais sintomas, as formas de tratamento e como preveni-lo. Confira!

O que é e qual a causa do refluxo em idosos?

O refluxo gástrico é uma doença digestiva caracterizada pelo retorno dos ácidos ao esôfago, canal localizado entre a garganta e o estômago. Ele ocorre quando os alimentos deixam de seguir o caminho natural da digestão.

Tal problema é causado pelo mau funcionamento do anel de fibras musculares, chamado no linguajar médico de esfíncter esofágico inferior. Sua função é impossibilitar a volta do alimento digerido para o esôfago.

Pessoas obesas, fumantes ou diagnosticadas com asma, diabetes e hérnia de hiato (quando parte do estômago ultrapassa o diafragma) têm mais chances de contrair a doença.

Além disso, o consumo em excesso de determinados alimentos, tais como café, frituras, chocolates e bebidas alcoólicas, podem ocasionar o surgimento desse problema.

Se não diagnosticada e tratada a tempo, o refluxo em idosos pode levar a outras complicações, como tosse e rouquidão crônicas, inflamação ou úlcera no esôfago, estrangulamento esofágico, irritação e espasmo no canal respiratório, problemas nos dentes e esôfago de Barrett, ou seja, uma alteração no revestimento do canal.

Quais os sintomas da doença?

Os principais sintomas do refluxo em idosos são os seguintes:

  • dor de garganta;
  • dor no peito;
  • inchaço na garganta;
  • rouquidão;
  • tosse seca;
  • dificuldade ao engolir o alimento;
  • náusea ao se alimentar;
  • azia;
  • regurgitação;
  • refluxo de suco gástrico;
  • mau hálito;
  • gosto amargo na boca;
  • sensação de alimento preso na garganta.

Quais as formas de tratamento?

O tratamento do refluxo em idosos inclui o uso de medicamentos prescritos pelo médico. Isso porque alguns remédios diminuem a produção de suco gástrico no estômago e auxiliam na cicatrização do esôfago.

Para amenizar os sintomas da doença, existem ainda antiácidos próprios para serem usados depois das refeições ou antes de dormir. Porém, eles podem provocar diarreia e constipação, e o alívio costuma ser passageiro — dessa forma, não devem ser usados sem indicação profissional.

Por sua vez, há medicamentos cuja ação é lenta, mas o efeito é mais duradouro. Ainda que a receita seja dispensável, a orientação é sempre verificar com o médico qual a melhor forma de tratamento.

Caso não haja melhoras no quadro, o refluxo em idosos pode ser tratado com outros procedimentos, como terapias realizadas por meio de endoscopia, se o especialista assim recomendar.

Como prevenir o refluxo em idosos?

A prevenção é a melhor maneira de evitar o refluxo em idosos. Confira, a seguir, dicas para impedir o surgimento da doença!

  • opte por uma alimentação equilibrada e na medida certa;
  • não fume;
  • evite o consumo em excesso de bebidas alcoólicas;
  • mantenha o peso controlado;
  • não durma após as refeições;
  • evite bebidas durante as refeições;
  • faça exercícios leves uma ou duas horas após se alimentar;
  • vá ao médico regularmente.

E então, aprendeu o que é refluxo em idosos e como deve proceder diante dos sintomas da doença? Lembre-se que o diagnóstico e o tratamento precoces é a maneira mais eficaz de solucionar o problema. Portanto, não hesite em procurar o médico a qualquer sinal de desconforto.

Se esse post foi útil para você, aproveite que está por aqui e assine a nossa newsletter para receber novos conteúdos sobre saúde!

Você também pode gostar

1 comentário

  • Avatar
    Responder Nanci Aparecida Vieira dezembro 18, 2018 at 9:50 pm

    Excelente conteúdo e de grande valor as pessoas que tem idosos na família.
    A atenção a algum sintoma, vale recorrer as informações aqui apresentadas no primeiro momento e como também ao médico para avaliação e prescrição necessária ao caso.

  • Deixe um comentário

    Scroll Up