Conheça 5 problemas de visão mais comuns em mulheres

Tempo de leitura 6 min

Dos 45 milhões de cegos em todo o planeta, dois terços são mulheres (30 milhões). Os problemas de visão, de fato, afetam mais o público feminino, e as razões para isso são diversas, incluindo as alterações hormonais e a expectativa de vida alta. Porém, eles podem ser tratados — quanto mais cedo o diagnóstico, maiores as possibilidades de cura.

Para tanto, é fundamental a devida atenção aos incômodos provocados pelas doenças oculares, como dificuldade para enxergar, ardência, coceira, dores e vermelhidão. Enfermidades como o glaucoma, no entanto, são silenciosas em sua fase inicial. Por esse motivo, o acompanhamento com o oftalmologista deve ser regular.

Neste artigo, vou explicar por quais motivos os problemas de visão afetam mais as mulheres e mostrar quais são as 5 doenças nos olhos que mais as afligem. Veja!

Por que os problemas de visão afetam mais as mulheres?

Os problemas de visão em mulheres estão associados a diferentes fatores, como aos hormônios sexuais, ao uso de medicamentos, à genética, ao sistema imunológico e a condições ambientais. Logo, requerem um diagnóstico cuidadoso para a aplicação do tratamento adequado. As alterações hormonais, por exemplo, afetam a produção de lágrimas, dando origem à síndrome do olho seco.

Outra causa apontada para o surgimento das doenças oculares é a maior expectativa de vida em comparação com os homens. Nesse caso, as enfermidades atingem o público feminino principalmente depois da menopausa. A hipótese mais provável é que a catarata e alguns tipos de glaucoma, por exemplo, manifestam-se por razões genéticas ou hormonais.

Problemas na visão podem aparecer, ainda, durante o período de gravidez. O diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia (aumento da pressão arterial) são fatores que contribuem com o surgimento de doenças oculares, como a vista embaçada e a síndrome do olho seco. Em alguns casos, observa-se também o aumento do índice refrativo em quem já tem miopia, hipermetropia e astigmatismo.

Nem por isso as mulheres devem trocar os óculos. É preciso aguardar para verificar se a situação se normalizará depois do parto. Vale ressaltar que alterações na córnea também são frequentes nessa fase — elas ficam sensíveis e podem acontecer mudanças na espessura. Por esse motivo, ocorre reação ao utilizar as lentes de contato.

Quais são as doenças oculares mais comuns no público feminino?

Saiba, a seguir, quais são os problemas de visão que mais atingem as mulheres, as causas, os sintomas e os tratamentos!

1. Síndrome do olho seco

A produção de lágrimas é de fundamental importância para proteger, lubrificar e limpar a região ocular. Quando há falta do líquido ou perda de sua qualidade, dizemos que a pessoa sofre de síndrome do olho seco. Inclusive, esse é um problema de visão que atinge principalmente as mulheres idosas.

Além da idade, a síndrome está associada ao uso de medicamentos antidepressivos, doenças autoimunes, como o lúpus, alterações hormonais e problemas decorrentes da gravidez. Os fatores ambientais, como clima quente e seco, fumaça e ar-condicionado também favorecem a doença.

Tal enfermidade provoca secura, coceira, vermelhidão, ardência e sensação de corpo estranho no olho. O tratamento envolve a utilização de lubrificantes oculares e, também, a mudança de hábitos, como o controle da temperatura e da umidade ambiental. É fundamental o acompanhamento com o oftalmologista para observar o efeito de tais medidas.

2. Glaucoma

O glaucoma é caracterizado pelo aumento da pressão intraocular e, por conseguinte, pela lesão do nervo óptico e por defeitos de campo visual. Sua origem está relacionada, também, a inflamações e tumores nos olhos. A doença pode levar à perda parcial ou total da visão, caso não seja devidamente acompanhada e tratada.

Os sintomas incluem principalmente dores nos olhos e de cabeça e perda do campo visual (dificuldade para ler, visualizar objetos e, até mesmo, caminhar sozinha). É fundamental passar pelo médico com regularidade, já que eles nem sempre são sentidos em uma fase inicial. O glaucoma deve ser tratado com colírios específicos para diminuir a pressão intraocular ou com cirurgia.

3. Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)

Observada após os 50 anos, a degeneração macular relacionada à idade (DMRI) afeta a região central da retina (mácula) por conta da destruição dos fotorreceptores. Devido ao quadro, essa doença ocular provoca a perda progressiva da visão. Fatores ambientais, metabólicos, hereditários, genéticos e hormonais são apontados como causas do problema.

Maus hábitos, como o consumo exagerado de gorduras, o tabagismo e a exposição em excesso aos raios solares também contribuem com o aparecimento da DMRI. Os sintomas mais comuns desse tipo de enfermidade nos olhos são a perda da visão central, a deformidade das imagens e a percepção de manchas e borrões.

A degeneração macular não tem cura, porém, a depender do tipo, pode ser tratada a laser, a fim de coagular os vasos causadores de sangramento presentes no fundo dos olhos. Outras possibilidades são a aplicação de injeções intraoculares de anti-VEGF, o uso de suplementos vitamínicos e técnicas cirúrgicas (vitrectomia e implantação de telescópio intraocular).

4. Catarata

Dos problemas de visão existentes, a catarata é a principal causa de cegueira reversível em todo o planeta. Trata-se de uma doença que afeta o cristalino, lente natural dos olhos, tornando-o opaco. Por essa razão, pessoas acometidas com a enfermidade perdem a vista de forma gradual.

Em mulheres, a origem da catarata está associada à menopausa, período em que ocorre a interrupção da circulação de estrogênio no organismo. Esse hormônio feminino é responsável por bloquear a produção da proteína C-reativa, causadora da doença. O problema também é decorrente da exposição aos raios ultravioleta e do diabetes.

Os principais sintomas da catarata são a perda progressiva da visão, a diminuição de nitidez à noite, a percepção desbotada das cores e a vista turva e embaçada. Por sua vez, o tratamento envolve a intervenção cirúrgica. Denominada facectomia com facoemulsificação, ela consiste no implante de uma lente intraocular.

5. Moscas volantes

Pontos escuros que se movem na frente de um ou dos dois olhos é sinal do que chamamos de moscas volantes. A doença surge devido ao processo natural de deslocamento do vítreo, gel que ocupa a cavidade posterior do globo ocular.

Ela é observada principalmente após os 45 anos em pacientes com histórico de miopia, devido à inflamação ou trauma nos olhos e tratamento ou cirurgia oculares. A intervenção cirúrgica pode ser necessária para dissolver as manchas nos olhos ou substituir o vítreo, a depender da gravidade.

Viu quais são os problemas de visão mais frequentes em mulheres? E então, você sabe a quantas anda a saúde da sua vista? Para proteger os seus olhos e prevenir doenças, é fundamental agendar consultas com o oftalmologista regularmente ou a qualquer indício de que há algo errado. O diagnóstico e o tratamento precoces aumentam as chances de controlar ou reverter o quadro.

Se você gostou deste artigo e deseja receber conteúdos exclusivos sobre saúde, assine já a newsletter do blog da Partmed Saúde e Medicina! Está esperando o que para ficar bem informada?

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up