Saúde do Homem

Perda da audição em idosos: não ignore os primeiros sintomas!

janeiro 25, 2019
Tempo de leitura 6 min

Com o passar dos anos, nosso organismo diminui a produção de alguns nutrientes e vitaminas. Ao mesmo tempo, algumas funções e mobilidades deixam de trabalhar tão bem quanto na juventude. Um desses transtornos, que acontece com frequência, é a perda da audição em idosos.

Este problema pode ocorrer por diversos motivos, sendo o mais comum deles a degeneração das células auditivas. Ela afeta não somente a capacidade de ouvir, mas também pode causar consequências físicas e psicológicas.

Entretanto, existem diversos tratamentos e procedimentos que possibilitam conviver com a deficiência; e melhoram a qualidade de vida na maioria dos casos.

Pensando nisso, preparamos este post com informações sobre a perda da audição em idosos, seus sintomas, consequências e formas de prevenção e tratamento. Boa leitura! 

O que é a perda de audição em idosos?

A perda de audição pode ser diagnosticada e classificada em quatro tipos: a neurossensorial, a condutiva, mista e neural.

A perda neurossensorial é quando há danos no nervo auditivo ou nas células ciliadas da parte interna do ouvido.

A condutiva acontece quando os sons não conseguem chegar ao ouvido interno para serem transmitidos ao cérebro, sendo parados no ouvido médio. Isso costuma ocorrer quando há  o acúmulo de alguma substância no ouvido, como cera ou fluido de infecções.

A mista é uma perda de audição caracterizada pela combinação da neurossensorial e a condutiva. Ela afeta  a parte média e interna do ouvido.

A perda de audição neural se manifesta quando há a ausência ou dano total do nervo auditivo. Este é considerado o tipo mais grave da doença. Neste caso não é possível transmitir as ondas sonoras para o cérebro.

Como são os sintomas?

A perda de audição é um processo gradativo e que apresenta vários sintomas. Quanto mais prestarmos atenção ao problema, ele pode ser prevenido ou até mesmo revertido com o diagnóstico e tratamento corretos.

É muito importante ficar atento a esses sinais que podem surgir em consequência de a pessoa estar perdendo a audição. Veja quais são eles:

  • dificuldade para compreender o que as outras pessoas estão falando;
  • som da TV ou rádio muito alto, e outras pessoas reclamando disso;
  • fazer uso da leitura labial durante uma conversa na qual não está entendendo bem o que o interlocutor está dizendo;
  • dificuldade ao falar ao telefone.

Além desses sintomas, uma característica de quem sofre com a perda de audição é a dificuldade em compreender a fala de outras pessoas, especialmente os sons mais agudos, como as palavras que contêm as consoantes t, p, k s, f.

Qual médico procurar?

Ao perceber que o idoso apresenta evidências de perda de audição, recomenda-se a procura de um médico especialista; neste caso, o otorrinolaringologista. É ele quem solicitará os diversos exames para identificar o problema e a sua causa. Um dos exames mais comuns é o de audiometria, onde o médico mede o menor volume de som que a pessoa consegue ouvir.

Como falamos acima, uma das causas mais comuns da perda de audição em idosos é a morte de algumas células auditivas. Mas existem outros fatores que podem afetar a audição ao longo da vida, como infecções, hipertensão, tabagismo, traumas, uso de substâncias tóxicas nos ouvidos e diabetes.

Como é o tratamento?

Atualmente existem diversos tratamentos para a perda da audição em idosos. Cada um deles depende do tipo e da causa identificados no diagnóstico.

Na perda neurossensorial, os danos causados pela doença não podem ser revertidos e são progressivos, mas existem práticas terapêuticas que diminuem o impacto e melhoram a qualidade de vida. Em casos leves são utilizados aparelhos auditivos. Nos mais avançados podem ser instalados implantes de ouvido médio ou coclear.

A perda condutiva pode ser de grau leve a moderado. O tratamento dependerá da causa. São realizados exames para identificar o que provocou o quadro e definir soluções. Quando ocorre por algum tipo de bloqueio no canal auditivo podem ser recomendados antibióticos e cirurgias para correção ou remoção; os casos mais graves requerem o uso de aparelhos auditivos.

No caso de perda mista, depende do motivo e do grau de intensidade. Por conta disso, o tratamento pode combinar diferentes métodos para alcançar o melhor resultado. Ele pode ser por meio de cirurgia, medicamentos, implantes de ouvido médio e aparelhos auditivos.

A perda neural, infelizmente, não pode ser tratada. Não existem nervos para transmitir ondas sonoras ao cérebro.

Quando consultar o especialista?

O ideal é que o paciente procure ajuda assim que perceber algum dos sintomas ou qualquer alteração na audição. O tratamento e acompanhamento tardio podem afetar a vida do idoso no dia a dia. Além disso gera transtornos de ordem psicológica. Veja algumas das consequências comuns de quem começa a se tratar tardiamente.

Afastamento social

Por conta da dificuldade de comunicação resultante da perda de audição, é comum que os idosos atingidos pela doença se isolem socialmente. Algo que pode ocorrer com frequência é a sensação de inutilidade, o que pode levar à depressão. Por isso, o recomendado é procurar auxílio profissional ou psicológico para lidar com a situação.

Dificuldade de adaptação ao tratamento

Outro problema recorrente é a dificuldade de adaptação. Especialmente em casos de aparelhos auditivos ou implantes de ouvido, onde a percepção pode ser alterada.

Distanciamento familiar

Como na situação do afastamento social, é bem frequente que a perda da audição em idosos afete a relação familiar. Isso porque a pessoa afetada pelo problema começa a viver uma nova realidade. Se a família não compreender e se esforçar para ajudar, acaba ocorrendo um distanciamento, especialmente por parte de crianças e adolescentes.

A perda da audição em idosos pode ser considerada um problema grave, com danos comportamentais sérios se não receber a devida atenção. Por isso, observe atentamente as pessoas ao seu redor e não ignore os primeiros sintomas; eles podem evitar a perda total de audição.

As informações sobre a perda da audição em idosos foram úteis? Para mais detalhes sobre esse e outros assuntos relacionados à saúde, entre em contato conosco. Estamos à sua disposição para  encontrar a melhor solução para você!

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up