Lipoaspiração: entenda os cuidados do pós e pré-operatório

Tempo de leitura 7 min

Melhorar os contornos do corpo e deixá-lo com um aspecto que faça com que a pessoa se sinta mais bonita costuma ser o principal objetivo de quem recorre a uma lipoaspiração. Também conhecida como lipoescultura, essa é a cirurgia plástica ideal para remoção de gordura corporal localizada.

Às vezes, mesmo após adotar bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios regulares, há quem se sinta insatisfeito com regiões do corpo em que ainda se concentrem excessos. O procedimento estético cirúrgico, assim, surge como aliado.

Antes de tomar a decisão de fazê-lo, entretanto, é fundamental ter atenção a algumas informações. Para entender melhor como ele funciona, saber a qual perfil de paciente é indicado e como se dão os cuidados pré e pós-operatório, continue a ler nosso artigo a seguir!

O que é a lipoaspiração?

A lipoaspiração é a cirurgia plástica que remove depósitos de gordura localizada. Sua formação se dá por fatores como falta de reeducação alimentar, sedentarismo ou devido a características genéticas. Assim, leva algumas pessoas ao desejo de modificarem o aspecto de seus corpos.

O cirurgião costuma fazê-la, de acordo com o desejo do paciente, na cintura, abdômen, costas, braços, pescoço, coxas, pernas, peito, bochechas e até na parte interior dos joelhos.

Em muitos casos, pode ser associada a outros procedimentos, como a abdominoplastia.

Para realização da lipoaspiração, antes de tudo, é fundamental ter consciência de que bons hábitos alimentares e rotina de exercícios são as melhores formas de garantir a manutenção dos novos contornos corporais.

Quem pode fazer?

A cirurgia é recomendada a quem já tem hábitos saudáveis e, consequentemente, menor probabilidade de voltar a acumular gordura na região operada. Dessa forma, são mais elegíveis pacientes com peso adequado e pessoas com bom tônus muscular, nas quais não predomine a flacidez após a lipoaspiração.

Caso o paciente esteja acima do peso e deseje muito passar pela transformação, o médico pode recomendar que dê início a uma reeducação alimentar antes de se submeter a ela.

Embora seja cada vez mais popular, considerada a segunda cirurgia plástica mais realizada no Brasil, atrás apenas da mamoplastia, a lipoaspiração não é indicada a todos.

Fumantes, pessoas com histórico de ataques cardíacos, complicações relacionadas ao coração, acidente vascular cerebral (AVC), hipertensos, pacientes obesos (com IMC superior a 30) e aqueles que tenham anemia e quadros graves de diabetes não são indicados a fazê-la.

Em se tratando do fator etário, a cirurgia plástica não é tampouco recomendada a idosos, já que a diminuição de colágeno na pele gera o risco de levar as etapas do procedimento a perfurações em órgãos vitais. Adolescentes menores de 18 anos, também, devido ao seu processo de desenvolvimento, não devem se submeter à lipoaspiração.

Pacientes com anorexia e problemas de dismorfismo, que podem apresentar baixa gordura corporal e graves transtornos de imagem, tampouco são elegíveis, já que a cirurgia, além da complexidade física, dialoga diretamente com autoestima de cada um.

Como é o pré-operatório da lipoaspiração?

Antes de fazer uma lipoaspiração, é importante escolher um profissional de sua confiança, com especialização e atuação em cirurgia plástica, registrado no Conselho Federal de Medicina.

Durante a primeira consulta, são relatados os hábitos do paciente ao médico, a fim de que ele decida se é realmente a escolha ideal. Já nesse encontro, o profissional informa sobre a relevância de ter expectativas realistas e tira todas as dúvidas a respeito da cirurgia

Exames solicitados no pré-operatório

Assim que houver concordância de ambas as partes, são solicitados exames de laboratórios, entre os quais se incluem coagulograma e hemograma. Esses são empregados para detectar um quadro de anemia, fazer a contagem de plaquetas e identificar se há quaisquer infecções no corpo do paciente.

Além disso, é solicitada avaliação do perfil cardiológico, avaliação da função renal e testes de glicemia de jejum, para detectar diabetes.

Cuidados específicos para fazer a lipoaspiração

Pessoas que fazem uso regular de medicamentos devem comunicá-los a seus médicos. Em muitos casos, a suspensão do uso antes da lipoaspiração pode ser recomendada. A pílula anticoncepcional, por exemplo, costuma ser interrompida no mês que antecede o procedimento, já que gera risco de tromboembolismo.

Se o paciente apresentar quaisquer resfriados e infecções no período anterior à cirurgia, também deve relatá-las ao cirurgião.

Em sua rotina, além da questão de saúde, é necessário que o indivíduo se organize para fazer a lipoaspiração em um período em que poderá descansar, mantendo todo o repouso requerido para que o procedimento tenha sucesso.

Além disso, alguém de sua confiança pode acompanhá-lo durante as consultas e deve estar presente no dia em que for realizada a cirurgia, para levá-lo para casa uma vez que essa for finalizada, bem como o período de internação

Como é feita a cirurgia?

Depois que todos os cuidados do pré-operatório forem tomados, chega o momento da lipoaspiração! A primeira informação relevante é que ela deve ser conduzida em um centro cirúrgico com autorização da vigilância sanitária e todos os equipamentos necessários para solucionar quaisquer complicações.

Na cirurgia, a anestesia pode ser local, peridural ou geral. A escolha depende do tamanho da área do corpo que será operada.

Uma vez que o paciente estiver sob efeito anestésico, são realizadas pequenas incisões pelas quais a gordura será retirada. Nelas, o cirurgião infiltra uma solução que contém soro fisiológico e adrenalina, a solução de Klein, responsável por controlar o sangramento.

Após essa etapa, nas incisões, é aplicada a cânula, um tubo pequeno, que ajuda a remover e a aspirar a gordura para fora do corpo do paciente.

A quantidade de gordura retirada varia de acordo com a composição individual. Como referência, a extração máxima consiste em até 7% do peso do indivíduo.

Pós-operatório da lipoaspiração

Assim que o procedimento é encerrado com sucesso, o paciente é submetido a uma internação, a qual pode levar de 12 a 24 horas, a depender do quadro clínico. Após isso, o acompanhante informado pode buscá-lo no hospital para que vá descansar em casa.

Durante os primeiros dias do pós-operatório, excessos de sangue ou fluidos tendem ser removidos com pequenos drenos. A fim de controlar as dores da operação, o médico prescreve analgésicos e antibióticos, os quais evitam infecções.

Depois dessa etapa, é recomendado ao paciente que faça sessões de drenagem linfática, melhorando os edemas e reduzindo os inchaços característicos do pós-operatório de uma cirurgia plástica. 

Atividades físicas

Quem se submete a uma lipoaspiração deve evitar tomar sol no primeiro mês após a cirurgia. Outra medida fundamental é permanecer durante cerca de 21 a 30 dias sem exercícios físicos, a fim de evitar sangramentos e complicações.

Após esse período, atividades leves, como caminhadas, rapidamente podem evoluir à rotina anterior do paciente, com todo o acompanhamento médico para garantir que a cicatrização se concretize da melhor forma.

O resultado da lipoaspiração, enfim, poderá ser visto após alguns meses. Quando todos os cuidados do pré e pós-operatório são tomados e o cirurgião plástico, de confiança, orienta o indivíduo para que siga os passos fundamentais, a tendência é que o procedimento proporcione muita satisfação, alinhado às expectativas reais e às características físicas, únicas, de cada paciente.

Gostou de nosso artigo e gostaria de ler mais conteúdos como este? Então assine já nossa newsletter e receba tudo diretamente em sua caixa de entrada!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up