Infertilidade feminina: entenda causas, tratamentos e exames

Tempo de leitura 6 min

É de comum conhecimento que um dos desejos mais recorrentes da maioria das mulheres é ter filhos. Por conta de seu instinto materno, os hormônios do sexo feminino causam mais vontade de cuidar e proteger. Entretanto, quando isso não ocorre de maneira simples e após diversas tentativas a gravidez não vem, pode ser a infertilidade feminina e, por isso, é hora de procurar um médico.

Pensando nisso, criamos este post, para explicar um pouco mais sobre o que é infertilidade feminina, quais suas causas e tratamentos. Confira!

O que é infertilidade?

É a dificuldade do casal de engravidar no período de um ano, sem o uso de contraceptivos. Deve-se lembrar de que a fertilidade de um casal é de 20% ao mês e, por isso, só é considerado infértil após o prazo de 12 meses. É após esse intervalo de tempo que é recomendado a procura de um médico.

No caso de mulheres com idade acima de 35 anos, a procura deve ser após a decisão de engravidar. Pois, ela já está saindo do considerado período fértil e entrando na fase da pré-menopausa. 

A infertilidade é um problema que pode acometer ambos os sexos, sendo mais comuns em mulheres. Ela acomete muitas mulheres, mas atualmente existem diversos tratamentos. Para isso, é importante ter o acompanhamento bem perto de um ginecologista e procurá-lo assim que perceber o problema.

Quais são as principais causas?

A infertilidade feminina pode ser causada por alguns fatores, que são divididos em 4 grupos. A seguir, explicamos um pouco sobre cada um.

Ovulares ou ovarianas

Nesse caso, a infertilidade ocorre por conta da dificuldade de ovulação ou da falta dela. Esse problema pode ser provocado por vários motivos, como síndrome do ovário policístico, hipotireoidismo, menopausa precoce e síndrome da anovulação (ausência de ovulação) crônica.

Tubárias e do canal endocervical

Alterações tubárias ou no canal endocervical podem causar a infertilidade feminina, nesse caso, há o impedimento da concepção. Obstruções, deformações e encurtamentos tubários são alguns problemas que podem provocar essas mutações.

Ligados à fertilização

Quando há problemas na fertilização, ocorre uma dificuldade para engravidar e, consequentemente, a infertilidade. Ele pode ser provocado pela idade da mulher e vigor do espermatozoide ou óvulo.

Ligados à implantação do embrião

Também conhecido como endometriose, esse problema ocorre quando há alguma doença ou quando o endométrio não está adequado para receber o embrião. Essa falha na preparação do endométrio pode ser causada por uma doença ou alterações hormonais.

Quais são os sintomas da infertilidade feminina?

É comum que a maioria das mulheres só descubra que tem problemas de fertilidade a partir do momento que tentam engravidar. A infertilidade feminina não tem sintomas específicos, mas existem alguns sinais que podem ajudar a identificar o problema.

  • menstruação irregular ou a falta dela;
  • dores na região pélvica;
  • problemas hormonais;
  • não conseguir engravidar, após um ano tentando.

Quais são os exames para diagnosticar a infertilidade?

Como explicado, na maioria das vezes, a infertilidade feminina não tem sintoma e, para que o diagnóstico aconteça, deve-se procurar um médico para que ele possa solicitar alguns exames. Abaixo, falamos um pouco sobre as análises que podem ser demandadas.

Dosagens hormonais

Esse exame é realizado a partir de uma análise laboratorial básica, geralmente de sangue, para medir os níveis de hormônios importantes relacionados a ovulação e ciclo menstrual. Para que o ciclo menstrual seja regular, são necessários diversos hormônios, o excesso ou falta de um pode levar à infertilidade.

Ultrassonografia transvaginal

Esse exame é de extrema importância, pois é a partir dele que consegue-se analisar as condições do ovário, sinais de ovulação, identificar alterações uterinas ou tubárias e verificar lesões, como a endometriose. A ultrassonografia pode ser realizada em todas as fases do ciclo menstrual, mas dependendo do que se quer avaliar, deve ser em fases específicas.

Histerossalpingografia

Esse exame costuma ser usado para avaliar as tubas e as cavidades uterinas. Para isso, é realizada uma radiografia com aplicação de contraste, onde se consegue visualizar alterações na anatomia da cavidade endometrial ou das tubas e desvios nesses órgãos. Essa análise é um exame com histórico de causar medo nos pacientes, por causa de dor, mas quando feito de maneira correta, a mulher não sente incômodo nenhum.

Videolaparoscopia

Esse exame, também considerado como uma cirurgia minimamente invasiva, utiliza uma microcâmera para constatar problemas como miomas, endometriose e cistos. Ele é realizado a partir de uma pequena incisão feita no umbigo, para que a câmera possa filmar os órgãos em tempo real. Essa análise é muito indicada para o diagnóstico de doenças já suspeitas.

Ultrassonografia transvaginal seriada

Esse exame serve especificamente para detectar distúrbios quanto à infertilidade feminina. Por meio dele, é possível saber o pico de fertilidade (dia mais fértil da mulher) e acompanhar o crescimento de folículos ovarianos. Assim, pode-se estimar quando estará pronto para ovulação. 

Existem mais alguns exames que podem ser solicitados pelo ginecologista para diagnosticar o problema, caso ele veja necessidade.

Como funcionam os tratamentos para a infertilidade?

Existem alguns tratamentos que podem ser realizados para infertilidade feminina, sendo três deles os principais. Eles podem ser feitos de maneira individual ou combinado a mais de um. Para que um tratamento possa ser desenvolvido, é necessário saber a causa da infertilidade.

  • regulação hormonal: nesse caso, o principal tratamento é regulação dos hormônios, para que o ciclo menstrual se torne regular e consiga realizar o processo de ovulação;
  • cirurgias: esse tipo de tratamento se dá, especialmente, para resolver problemas de infertilidade, como alterações tubárias e endometriose. Atualmente, são realizadas cirurgias minimamente invasivas;
  • relação sexual programada: nesse caso, o tratamento é feito por mulheres que tem dificuldade de ovulação. Para isso, a ovulação é induzida e as relações sexuais são programadas para esse período.

Independentemente da causa, a infertilidade feminina é um problema que necessita de acompanhamento médico, especialmente se for motivada por outra doença. Por isso, procure um especialista assim que perceber algum sinal da enfermidade e faça acompanhamento periódico para garantir a saúde do seu organismo.

E aí, o que achou de saber mais sobre a infertilidade feminina? As informações foram úteis? Aproveite e entre em contato conosco, para que possamos ajudar a encontrar a melhor solução para você.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up