Saúde da Mulher

Gastrite nervosa: descubra causa, sintomas e tratamento

agosto 13, 2019
Tempo de leitura 3 min

Apesar das facilidades do século 21, no Brasil e em vários outros países, cada vez mais pessoas sentem o desconforto da gastrite, um mal moderno relacionado à rotina atribulada e a má alimentação. Para evitar esse mal, é fundamental estar atento ao próprio corpo e cuidar da saúde, a fim de se prevenir de problemas mais graves.

Nesse contexto, é importante se informar. A gastrite clássica é caracterizada pela inflamação da mucosa do estômago. Já a gastrite nervosa, embora tenha sintomas semelhantes, não tem origem inflamatória. Neste artigo, explicaremos o que é esse problema, qual a sua causa e como é possível reconhecê-lo e tratá-lo. Confira!

Qual é a causa da gastrite nervosa?

A gastrite clássica ocorre devido a um processo inflamatório no estômago, que pode ter duas causas. A primeira e mais comum é a bactéria chamada de Helicobacter pylori, que penetra na parede do estômago e é transmitida entre as pessoas ou por meio de água e alimentos contaminados.

Já a segunda causa tem origem no uso abusivo de algumas substâncias, como anti-inflamatórios não esteroides, drogas e álcool. Por fim, há uma causa rara, chamada de gastrite autoimune. Nesse caso, o organismo produz anticorpos que atacam a mucosa do estômago, causando inflamação.

A gastrite nervosa, problema que também é conhecido como dispepsia funcional, cursa com os mesmos sintomas da gastrite clássica tratada acima, mas não há inflamação. Dessa forma, apesar de receber popularmente o nome de gastrite, ela não pode ser caracterizada como tal. A doença surge devido a questões emocionais, como o estresse, nervosismo, pressão em determinadas situações, ansiedade e outras doenças psicológicas.

Quais são os sintomas desse mal?

Os sintomas são semelhantes ao da gastrite clássica, sendo:

  • azia;
  • queimação;
  • sensação de estômago cheio;
  • dor no estômago;
  • barriga dolorida ou inchada;
  • perda de apetite;
  • náuseas e vômitos;
  • dor de cabeça;
  • mal-estar geral;
  • digestão lenta;
  • arrotos e gases muito frequentes.

Como é feito o tratamento?

Apesar da chamada “gastrite” nervosa não estar relacionada à inflamação da parede do estômago, existem alguns tratamentos para melhorar a qualidade de vida de quem tem o problema. Em primeiro lugar, é fundamental identificar qual é a causa dos sintomas.

Como o estresse e a ansiedade são causas muito comuns, é fundamental que a pessoa aprenda a lidar com esses sentimentos para que o corpo não sofra. Nesse contexto, é bastante interessante procurar ajuda de um psiquiatra, que pode prescrever medicações, e de um psicólogo, que ajudará a pessoa no processo de autoconhecimento.

Outras medidas importantes estão relacionadas à alimentação e a prática de exercícios físicos, ou seja, mudanças no estilo de vida. Isso porque existem certos tipos de alimentos que são capazes de piorar os sintomas da gastrite, como o café, refrigerantes, frituras e outros. Já a atividade física é benéfica, pois ajuda o corpo a relaxar e a produzir hormônios que causam a sensação de bem-estar.

Em alguns casos, o médico também pode prescrever antiácidos, remédios que diminuem a acidez do estômago, diminuindo os sintomas gastrointestinais. É importante ressaltar que qualquer medicação só deve ser usada se for prescrita por um médico.

Pessoas com gastrite nervosa devem ter acompanhamento médico ao longo da vida, visto que esse é um problema recorrente. Assim, mesmo que ele seja tratado hoje, pode ocorrer novamente quando o indivíduo passar por questões emocionais.

Entendeu a importância de reconhecer o estresse e outras alterações emocionais? Então, aproveita para saber mais sobre os sintomas físicos do estresse!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up