Exames de pré-natal: quais são e quando devem ser feitos?

Tempo de leitura 7 min

Fez o teste de gravidez e deu positivo? Então, agora você sabe que precisa redobrar os cuidados com a saúde para preservar o seu bem-estar e o do seu bebê, certo? Durante o período de nove meses, uma série de exames de pré-natal deverão ser feitos, logo, é necessário descobrir quais são eles para não se esquecer de nenhum.

Aliás, o check-up médico realizado durante o período gestacional é de fundamental importância para evitar complicações graves e proteger a saúde do bebê. Algumas doenças colocam em risco o desenvolvimento do feto, enquanto outras podem ser transmitidas de mãe para o filho, caso não sejam tratadas a tempo e de forma devida.

Neste post, você saberá quais exames de pré-natal precisam ser realizados, em qual período e por quê. Acompanhe!

Urina

O exame de urina aponta, por exemplo, se há sangramento ou presença de bactérias, pus (leucócitos), proteínas e hemácias. Tal quadro pode ser indício de infecções urinárias — embora nem sempre elas apresentem sintomas. Além disso, o teste possibilita identificar problemas de incontinência ou algum outro tipo de inflamação.

Vale destacar que esse exame é de extrema importância, pois evita complicações graves, como o comprometimento dos rins e outros órgãos do corpo, levando ao parto prematuro, além de prejudicar a saúde da mãe. Se o resultado der positivo, outros testes precisam ser feitos para detectar os tipos de bactérias causadoras da alteração.

Quando fazer

Na primeira consulta pré-natal e mais duas vezes no decorrer do período gestacional ou quando o médico solicitar.

Fezes

Por sua vez, o exame de fezes mostra a presença de parasitas no intestino ou, ainda, uma possível anemia, quadro que é intensificado em algumas gestantes. A depender da gravidade, a doença precisa ser tratada, mas o médico deve avaliar primeiro se a medicação não comprometerá a gravidez.

Quando fazer

No começo do pré-natal e em qualquer outro momento da gestação, se necessário.

Hemograma completo

O hemograma é um exame que serve para avaliar todos os componentes presentes no sangue, ou seja, a quantidade de plaquetas, glóbulos brancos e glóbulos vermelhos (hemácias). Ele identifica se a grávida está com anemia — na fase gestacional, há aumento de 50% do líquido, logo, o ferro dissolve, propiciando o quadro anêmico.

Esse tipo de exame pré-natal aponta também se a coagulação está dentro da normalidade e o sistema imunológico encontra-se fortalecido ou existe algum sinal de infecção no organismo. Nesse caso, é possível realizar o tratamento adequado antes que haja o agravamento da situação, colocando em risco a saúde da mãe e a gestação.

Quando fazer

Na primeira consulta e, depois, a cada trimestre, se o obstetra considerar necessário.

Glicemia

Solicitado pelo ginecologista, o exame da glicemia mede a quantidade de glicose no sangue. Assim, é possível saber se os níveis de açúcar estão sob controle. O teste requer jejum de oito horas ou pode ser feito duas horas após o consumo de alimentos, isto é, no período denominado curva glicêmica.

O resultado acima do normal indica um quadro de diabetes gestacional, o que exige bastante atenção para não colocar a gravidez em risco. Da mesma maneira, a baixa taxa de glicemia representa um perigo para a mãe e para o bebê. Portanto, medidas devem ser tomadas para assegurar que a quantidade de glicose no organismo esteja adequada.

Quando fazer

Em geral, a glicemia em jejum é feita no começo da gravidez e na curva glicêmica, no quinto mês de gestação.

Grupo sanguíneo (sistema ABO) e fator Rh

Enquanto o sistema ABO serve para descobrir o tipo de sangue da gestante, o fator Rh é realizado para saber se ele é positivo ou negativo. O primeiro, auxilia em possíveis transfusões, já o segundo, impede a formação de anticorpos anti-Rh no organismo da mãe, os quais podem provocar a destruição das hemácias do bebê que tenham um Rh incompatível.

Quando fazer

Apenas na primeira consulta pré-natal.

Sorologia para hepatites virais

A lista de exames de pré-natal inclui, ainda, a sorologia para hepatites virais B e C, mais propensas a serem transmitidas por relação sexual. Tais enfermidades podem comprometer o desenvolvimento do bebê, logo, se a gestante tiver contraído, será necessário realizar o tratamento.

Quando fazer

No primeiro e terceiro trimestres da gestação ou em demais períodos, caso o médico solicite.

Sorologia para HIV e VDRL

A sorologia para HIV e VDRL é necessária para identificar se a mãe tem o vírus da Aids e sífilis, respectivamente. Ambas as doenças podem ser transmitidas e causar danos ao bebê, caso não sejam tratadas. O HIV compromete o sistema de defesa e a sífilis afeta o coração, o sistema nervoso central, além de outras partes do corpo.

Quando fazer

Periodicamente, a cada seis meses, e no início do pré-natal.

Sorologia para citomegalovírus (CMV)

O citomegalovírus (CMV) é uma enfermidade da família dos vírus do herpes simples, genital e zóster e, ainda, da catapora. A doença também pode ser transmitida da mãe para o bebê, prejudicando o desenvolvimento do feto e levando a malformações. Embora seja considerada rara, o exame para identificá-la é recomendado no período gestacional.

Quando fazer

No primeiro e terceiro trimestres da gravidez e também em outros momentos, se o médico assim aconselhar.

Reação à toxoplasmose e rubéola

Esse exame é capaz de identificar o nível de anticorpos contra os agentes dessas enfermidades. Assim, o médico tem condições de saber se a infecção aconteceu durante a gravidez ou antes. Se diagnosticadas, a toxoplasmose e a rubéola precisam ser tratadas rapidamente para evitar malformações do feto ou problemas como cegueira e surdez.

Quando fazer

No começo do pré-natal e no terceiro trimestre.

Papanicolau

Durante as consultas com o ginecologista, as mulheres devem realizar o exame de papanicolau. O mesmo precisa ser feito durante o período gestacional. Chamado também de colpocitológico, ele é de fundamental importância para prevenir o câncer de colo de útero.

Quando fazer

Na primeira consulta pré-natal e anualmente, ainda que a mulher não esteja grávida.

Ultrassonografias

Em todos os trimestres da gestação, é preciso realizar diferentes tipos de ultrassonografias, como:

  • ultrassom transvaginal — serve para comprovar a idade gestacional, avaliar a viabilidade da gravidez e descartar a possibilidade dela ocorrer fora do útero;
  • ultrassom morfológico — analisa a formação do feto, ou seja, o desenvolvimento do sistema nervoso, dos membros e do coração. É possível verificar se há algum problema de malformação;
  • ultrassom que mede os batimentos do coração — conforme o bebê se desenvolve, é fundamental realizar nova ultrassonografia para observar se a saúde dele está preservada, se ele se desenvolveu bem e se encontra na posição correta.

Quando fazer

Na primeira consulta e entre a 11ª e 14ª, 20ª e 24ª e 32ª semanas de gestação.

Pré-natal odontológico

Sem dúvida nenhuma, no período de gravidez as mulheres também devem ficar atentas à saúde bucal e dos dentes. Afinal, vale lembrar que qualquer descuido pode abrir caminhos para doenças, as quais comprometem até mesmo outras partes do corpo. Logo, a recomendação é manter as consultas regulares com o dentista para proteger a si mesma e ao bebê.

Agora, sim, você está a par dos exames de pré-natal necessários durante a fase da gestação. Logo, lembre-se de que realizá-los é fundamental para a manutenção da saúde da gestante e do bebê. Portanto, caso algum teste não tenha sido solicitado pelo seu médico, questione-o a respeito e não deixe de fazê-lo.

Está à procura de uma clínica odontológica moderna e inovadora para tratar dos seus dentes com a segurança que você merece? Se sim, entre em contato com a OdontoCompany já!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up