Como prevenir o aparecimento de cálculo renal?

Tempo de leitura 6 min

Popularmente conhecido como pedra nos rins, o cálculo renal é um problema que incomoda muita gente, de crianças a idosos. Trata-se de uma doença causada pela formação de substâncias minerais no sistema urinário. Apesar de contar com características hereditárias, o estilo de vida pode preveni-la, principalmente em razão de bons hábitos alimentares. 

Para você ficar bem informado sobre o assunto, elaboramos este post com aspectos relevantes para melhorar a sua conscientização. Confira! 

O que é o cálculo renal?  

Como já apresentamos acima, o cálculo renal pode ser comparado a grãos de areia que se aglomeram dentro do rim, formando uma pedra que causa dores terríveis, calafrios, náuseas, entre outros sintomas que veremos logo mais neste post. 

Cerca de 10% das pessoas terão, em algum momento na vida, o cálculo renal, problema que se agrava no verão por causa da maior transpiração e por, muitas vezes, as pessoas deixarem de repor essa água eliminada do organismo. Isso porque o rim é o órgão responsável pelo equilíbrio dos líquidos no organismo, uma função importantíssima na vida.

Além do órgão, as pedras podem atingir o ureter (canal que leva a urina do rim até a bexiga) ou a vesícula. Portanto, os cálculos são classificados tendo como base a localização dentro do sistema urinário. Aliás, a composição também retrata aspectos diferenciados. Existem os formados por oxalato de cálcio, ácido úrico, estruvita ou fosfato de cálcio. 

Quais são as causas do cálculo renal?   

Pesquisas científicas mostram que o surgimento do cálculo renal está ligado ao histórico familiar e, principalmente, aos hábitos alimentares pouco saudáveis. Dentre os vilões, podemos citar a ingestão em altas doses de sal e proteína, ou seja, quem come muita carne e exagera no tempero tem mais chance de desenvolver o problema.  

Além disso, o baixo consumo de água ou líquidos diuréticos também é um fator de risco. Outra situação que contribui para a formação das pedras é ficar segurando a urina por longos períodos de tempo. Isso porque o xixi acumulado deixa resíduos no órgão, sendo uma possibilidade de infecção por bactérias.

Além disso, os especialistas afirmam que quem segura a urina por muitas horas frequentemente acaba influenciando no refluxo do rim, por causa da pressão da bexiga cheia. Como consequência, o órgão passa a trabalhar desordenado, podendo gerar a tão temida pedra nos rins.  

Fatores de risco 

Fora as causas citadas acima, existem alguns fatores de risco que devem sempre ser levados em conta. Dentre eles, a obesidade. Afinal, quem está acima do peso frequentemente exagera na alimentação. Pessoas sedentárias e que moram em regiões mais quentes, como no litoral, também devem acender a luz vermelha.

Quem é diabético e indivíduos que não gostam de beber água estão no quadro de maior incidência de cálculo renal, necessitando de constante acompanhamento médico. Em resumo, vemos que geralmente o problema começa, exceto nos casos hereditários, em razão do comportamento alimentício.

Quais são os sintomas mais comuns?   

Os sintomas mais comuns são dores na barriga ou na lateral das costas. Além desse incômodo, a urina fica com a coloração mais escura, com sangue, há casos de febre, calafrios, vômitos e até náuseas. 

No entanto, a formação das pedras nos rins é um problema silencioso e, muitas vezes, o paciente não sente nada, principalmente quando os cálculos são grandes. Isso é explicado pelo fato de a pedra não estar se movimentando, ao contrário do que acontece com as pequenas, que entopem o ureter. 

Por isso, a realização de check-ups constantes é fundamental para você manter a saúde em dia, evitando que o cálculo renal seja descoberto por meio das dores. O paciente pode sentir ainda uma cólica com uma forte dor lombar, que acaba se transferindo para a bexiga. Aí, somente a medicação na veia poderá aliviar o incômodo. 

Como é feito o diagnóstico?  

O diagnóstico do cálculo renal é elaborado de acordo com o resultado de exames e também com o histórico do paciente. Para isso, é feita uma tomografia do abdômen e pelve. Gestantes e crianças passam por ultrassom ou raio X dos mesmos locais. 

E fica o alerta: ressonância magnética não mostra os cálculos. Outros procedimentos adotados pelos profissionais são exames de sangue e de urina, com foco na prevenção de novos casos. 

Em razão disso, é importantíssimo você contar com o respaldo de médicos especializados e com vasta experiência no diagnóstico. Por isso, busque sempre profissionais e clínicas de confiança e credibilidade.  

Cálculo renal tem cura? 

A boa notícia é que o cálculo renal tem tratamento e a cura efetiva vai depender do paciente. Afinal, quem não realizar exames preventivos e deixa de cuidar da alimentação certamente voltará a ter o problema em até cinco anos. 

Assim, o tratamento depende dos casos, como sintomas, quantidade de pedras, localização etc. O paciente pode ser acompanhado ou até mesmo necessitar de uma cirurgia. Com as novas tecnologias, os procedimentos cirúrgicos são totalmente extracorpóreos e bem menos invasivos, com excelentes resultados.

Como prevenir o cálculo renal?    

A primeira dica é sempre cuidar da alimentação, ingerindo pelo menos 2 litros de água por dia, além de realizar exames preventivos. Tenha moderação no consumo do sal e evite altas taxas de proteína ao longo da semana.

Observe também a cor da urina. Caso ela comece a ficar em um tom mais escuro, é hora de procurar um especialista. Aliás, a realização de um check-up anual deve ser um compromisso pessoal, mesmo que tudo esteja aparentemente em ordem. 

Nos dias mais quentes, consuma uma quantidade maior de água e líquidos saudáveis, como sucos. Evite refrigerantes e outras bebidas industrializadas que têm grande quantidade de sódio. Pratique atividades físicas e não segure a urina por muito tempo. Invista na sua qualidade de vida e tenha sempre nas refeições um prato com legumes, verduras e frutas disponíveis para você se alimentar ao longo do dia. 

Assim, seguindo as nossas dicas, certamente você viverá melhor, saindo da estatística de quem terá o cálculo renal em algum momento. Caso já tenha sido vítima do problema, reforce o cumprimento das recomendações, para não voltar a sentir as dores tão indesejadas que transformam os dias em verdadeiros pesadelos. No mais, invista na sua autoestima e mantenha o foco em seus objetivos. 

E você, está precisando realizar um check-up? Quer conhece os nossos serviços? Então entre em contato com a nossa equipe e veja nossas vantagens!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up