Saúde da Mulher

Como me preparar melhor para as consultas com o ginecologista?

outubro 4, 2018
Tempo de leitura 6 min

Embora seja importantíssimo para a saúde íntima da mulher, a visita ao ginecologista pode ser um tanto quanto delicada. Isso porque além de todo o constrangimento, muitas mulheres não sabem ao certo o que devem fazer ou falar para o médico, o que pode comprometer a qualidade da sua consulta.

Pensando nesses problemas, este conteúdo foi elaborado justamente para ajudar as nossas leitoras a entender o que deve ser feito antes da consulta e o que deve ser perguntado ao médico.

Quer saber mais? Este texto é um guia completo sobre as visitas ao ginecologista. Confira!

O que fazer para tornar a consulta mais confortável?

Ir ao ginecologista está longe de ser a coisa mais prazerosa do mundo, porém, é um mal necessário. Já que não é possível escapar das consultas, por que não tentar torná-las menos desconfortáveis?

Existem algumas medidas que você pode adotar dias antes da consulta que, com certeza, deixarão a situação mais agradável, além, é claro, que melhorar a qualidade e eficiência da sua consulta. Confira algumas dessas dicas:

1. Agende a consulta fora do período menstrual

A presença do sangramento, além de ser um desconforto a mais para a mulher, é um empecilho para o médico pois o sangue pode dificultar a coleta de alguns exames. Durante a menstruação os órgãos e os seios das mulheres ficam mais sensíveis e doloridos, então, visitar o ginecologista durante esse período também pode causar dores.

A consulta pode ser realizada antes ou depois da menstruação, mas vale lembrar que dias antes do sangramento a mulher já fica sensível e cheia de dores, então o ideal é marcar alguns dias depois da menstruação.

2. Evite relações sexuais

Segurar a vontade não é nada fácil, mas é necessário: a mulher tem que evitar ter relações sexuais pelo menos nos três dias que antecedem a consulta e, jamais, deve se relacionar no dia.

A presença do esperma, fluidos corporais ou lubrificante do preservativo alteram a composição da vagina, o que pode influenciar a coleta de material vaginal. Além disso, a relação em si promove a descamação da pele e pode alterar o corrimento ou até mesmo causar sangramento.

3. Não use cremes ou lubrificantes

Os cremes e lubrificantes vaginais também devem ser evitados nos três dias que antecedem a consulta, pois eles também causam alterações nos exames. Caso você esteja fazendo algum tratamento, espere ele acabar, guarde três dias e vá ao médico.

4. Não se preocupe com a depilação

A presença dos pelos não prejudica em nada os exames, portanto, a depilação não é essencial. A verdade é que as mulheres têm medo de serem julgadas por acharem que os médicos olham para elas como homens, mas isso não é uma verdade.

Você pode se depilar ou não, faça aquilo que você está acostumada e que a deixará mais à vontade na frente do ginecologista.

5. Esvazie a bexiga antes de começar os exames

O espéculo, que é usado para dilatar o canal da vagina durante os exames, pode causar certo desconforto na bexiga, portanto, se possível, peça para urinar antes de ser examinada. Quanto mais os órgãos estiverem descontraídos, melhor.

Ao urinar, tente não friccionar o papel higiênico contra seu corpo. Alguns pedaços podem ficar grudados e o médico terá de tirá-los com solução de soro, o que pode ser constrangedor.

O que perguntar durante a consulta?

É durante a consulta ao ginecologista que você deve tirar todas as suas dúvidas, então não tenha pressa!

1. Pergunte sobre os contraceptivos

O preservativo e o anticoncepcional são apenas dois dos vários tipos de contraceptivos existentes no mercado. Caso você não se sinta à vontade para usá-los, peça ao seu médico para que ele ofereça uma alternativa, como o DIU ou injeções.

Aliás, nem todas as mulheres se sentem bem ao usarem o anticoncepcional. Se as pílulas causarem qualquer efeito colateral ou alteração na sua qualidade de vida, informe o seu ginecologista imediatamente.

2. Informe qualquer anormalidade durante o ato sexual

Dores durante ou após o sexo não são tão comuns quanto a maioria da população acha. O sexo deve ser prazeroso para a mulher, então, se você está sentindo qualquer desconforto que atrapalhe o seu desempenho, é preciso informar ao médico.

3. Pergunte sobre as DSTs

Você não precisa ter vergonha, o médico é a única pessoa que sabe tudo sobre essas doenças, é normal ter dúvidas sobre as famosas DSTs.

Engana-se quem pensa que os exames para as doenças sexualmente transmissíveis deve ser feito somente quando há suspeita, esses exames deveriam ser rotineiros, principalmente para as mulheres solteiras. Portanto, caso você queira pedir algum exame de DST, não sinta vergonha! Isso é mais normal do que você imagina.

4. Fale sobre as suas secreções e ciclo menstrual

Esse é o assunto principal a ser tratado dentro do consultório do ginecologista. Dê o maior número de informações possível sobre a sua menstruação: quando ela começa e como é o sangramento inicial, quando ela termina, quantos dias dura, se há presença de cólicas e dores de cabeça intensas, enfim, diga tudo!

Falar sobre as secreções e corrimento também é importante. Para começo de conversa, secreção é supernormal! Mas, caso a coloração ou o cheiro estejam diferentes, vale a pena comunicar o ginecologista.

Como saber se eu devo ir ao ginecologista?

O ideal é que toda mulher após passar pela puberdade visite o ginecologista uma ou duas vezes ao ano para realizar exames diagnósticos, como o Papanicolau.

Mas essa não é uma regra, a frequência com que a mulher deve ia ao médico depende muito de cada caso, por exemplo, as gestantes precisam visitar o ginecologista com mais frequência.

E você não precisa esperar exatamente o intervalo de um ano. Se a sua menstruação estiver atrasada, se houver presença de corrimento escuro e com cheiro estranho, dor ao urinar e sangramento fora do ciclo menstrual, é sinal que você deve marcar uma consulta o quanto antes!

A consulta com ginecologista não é uma experiência agradável, mas nem por isso você deve deixar de visitar o seu médico ou evitar fazer qualquer pergunta por vergonha, afinal, com saúde não se brinca! Escolha um médico da sua confiança (muitas mulheres se sentem mais confortáveis ao serem consultadas por outra mulher) e faça os seus exames.

Gostou do texto? Você tem interesse em saber mais sobre a área da saúde? Então entre em contato conosco e conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho!

Você também pode gostar

1 comentário

  • Avatar
    Responder Maria Leodenir outubro 21, 2018 at 2:17 pm

    Qual o enderço?

  • Deixe um comentário

    Scroll Up