Como abrir uma clínica médica? Confira aqui o passo a passo

Tempo de leitura 8 min

Quer iniciar ou investir em um novo negócio, mas não sabe como? Saber como abrir uma clínica médica não é tarefa simples, porém, se você estiver bem informado e assessorado, tudo sairá do papel e não levará muito tempo para obter retorno. Ainda, caso resolva optar por uma empresa com várias especialidades, terá o diferencial de oferecer uma gama de serviços em um só lugar.

Entender o público-alvo e suas necessidades é o ponto de partida. No entanto, antes de iniciar o empreendimento, é fundamental analisar outros fatores importantes, como o investimento necessário, as etapas burocráticas para formalizar o negócio, a localização, a organização da estrutura física, a contratação de colaboradores e por aí vai.

Neste artigo, vou abordar brevemente sobre o panorama desse tipo de empreendimento no país e mostrar o passo a passo sobre a abertura desse negócio. Confira!

Qual o panorama do mercado de clínica médica?

Uma clínica médica pode ser convencional ou popular. Nesse último caso, visa atender pessoas que estão insatisfeitas com o sistema público de saúde. Essas pessoas procuram por alternativas a preços acessíveis, uma vez que não têm condições de contratar um convênio particular. Seja qual for o modelo escolhido, há espaço para todos.

O segredo é identificar o público que pretende atender e instalar o empreendimento o mais próximo possível dele. O atendimento precisa ser personalizado, ágil e eficiente. É fundamental, ainda, oferecer facilidades no pagamento e saber gerir o negócio de forma profissional e estratégica, com a atenção voltada à inovação e às novas oportunidades.

Se você resolver abrir uma clínica médica com várias especialidades, vai concorrer com aquelas que apostaram em, no máximo, duas, e terá como diferencial a ampla gama de serviços prestados em um só lugar. Logo, é importante refletir sobre as necessidades do público-alvo para suprir plenamente às demandas e garantir uma maior rentabilidade.

A opção por atender com e sem plano médico é excelente para atrair um número de pacientes cada vez maior. Afinal, a clínica pode oferecer a alternativa de pagamento por assinatura ou, ainda, a compra de pacotes para consultas e exames. O investimento em tecnologias — como os aplicativos de saúde — é importante para simplificar o acesso aos serviços desse segmento, que é promissor.

Como abrir uma clínica médica no Brasil?

Saiba, a seguir, como abrir uma clínica médica do zero — da organização dos serviços, passando pelo planejamento tributário e pela definição da localização, aos processos para a formalização!

Determine a organização dos serviços e a estrutura jurídica

Primeiramente, é preciso definir a área de atuação da empresa. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divide os estabelecimentos em diversas categorias, como a clínica geral, na qual são realizados pequenos procedimentos, e o consultório geral, em que são oferecidos mais de duas especialidades médicas.

O segundo passo é optar pela estrutura jurídica mais adequada ao empreendimento — uma sociedade limitada ou uma empresa individual de responsabilidade limitada (Eireli), por exemplo. Essa última alternativa é indicada a empreendedores que não terão sócios, podendo gerar economia de tributos.

Faça o planejamento tributário

O planejamento tributário é indispensável para assegurar a sustentabilidade do negócio. Com ele, é possível compreender os principais tributos que deverão ser pagos em uma periodicidade estabelecida. Veja, abaixo, os regimes pelos quais você poderá optar:

  • Simples Nacional — ele unifica oito impostos, de forma a simplificar a gestão tributária. O faturamento da clínica não poderá superar R$ 3,6 milhões ao ano;
  • Lucro Real — essa tributação recai sobre o lucro líquido em um período definido. Logo, os cálculos do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) variam conforme os resultados da empresa;
  • Lucro Presumido — nesse regime, o IRPJ e a CSLL são estipulados dentro de uma margem de lucro específica, considerando a área de atuação.

Vale lembrar que, antes de fazer o planejamento tributário, é necessário definir o registro na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). Uma clínica médica, em geral, está inserida nas atividades de atenção ambulatorial prestadas por médicos e odontologistas. Lembre-se que o auxílio de um contador ou escritório é importante nessa fase.

Realize o planejamento para abertura e execução

Para simplificar as etapas de execução em uma clínica, a orientação é elaborar um projeto de abertura, no qual devem constar:

  • o investimento a ser feito;
  • a localização da empresa;
  • os documentos legais que precisam ser providenciados;
  • a equipe de trabalho;
  • a estrutura da clínica;
  • o perfil dos pacientes, de acordo com as especialidades oferecidas e o modelo de negócio;
  • as formas de divulgação dos serviços.

Estabeleça os custos e o investimento

A abertura de uma clínica médica implica custos fixos e variáveis que precisam ser dimensionados. Assim, você saberá o número de atendimentos necessários para cobrir os débitos e ter faturamento. Entre as obrigações, vale citar:

  • aluguel;
  • água, luz e internet;
  • equipamentos e insumos;
  • materiais de escritório;
  • publicidade;
  • softwares administrativos;
  • manutenção e reforma prediais;
  • folha de pagamento;
  • capital de giro, entre outras.

Defina a localização

O primeiro quesito a ser levado em consideração ao definir a localização do empreendimento é observar o fácil acesso do público que será atendido. Uma clínica popular, por exemplo, deve estar situada estrategicamente em regiões comerciais com linhas de ônibus e estações de trem e metrô, modais bastante utilizados por quem procura por esses espaços.

Outra questão é analisar se os arredores contam com alguma unidade hospitalar, o que é importante no caso de haver necessidade de encaminhar pacientes. As normas sanitárias vigentes devem ser respeitadas, logo, a recomendação é buscar o auxílio de um arquiteto ou engenheiro para avaliar a viabilidade do local e verificar se há algum tipo de restrição.

Organize a estrutura física e os equipamentos

A etapa seguinte é planejar o espaço sem deixar de considerar as legislações sanitárias municipais e estaduais. Será preciso definir onde ficarão o posto de coleta de exames com os devidos equipamentos instalados, o escritório, a recepção, a sala de espera, os consultórios médicos e o que mais for necessário.

É fundamental que a organização da estrutura garanta o funcionamento seguro e eficiente da clínica médica. Nesse momento, fatores como as especialidades oferecidas e o tamanho do público que se pretende atender devem ser levados em conta. Além disso, uma identidade visual atrativa e que, ao mesmo tempo, transmita credibilidade é importante para ajudar a fortalecer o negócio.

Selecione, contrate e treine os colaboradores

Sabemos que o público é exigente e quer ser bem atendido. Por esse motivo, na hora de selecionar os futuros colaboradores da clínica médica, é essencial avaliar com rigor suas competências de acordo com as exigências para o cargo, seja ele da área da saúde, seja do setor administrativo ou do atendimento.

Depois, os funcionários precisam ser treinados para alcançar o padrão de atendimento requerido pela empresa ou dominar as tecnologias oferecidas em prol dos pacientes e do próprio negócio. Nesse sentido, analise se vale a pena terceirizar algumas atividades. Aliás, lembre-se: quanto maior a responsabilidade do profissional, mais criteriosa deve ser a escolha.

Providencie a formalização da clínica

A formalização de uma clínica engloba uma série de exigências burocráticas. Sendo assim, a orientação é procurar um profissional habilitado ou uma empresa que atue nesse ramo para auxiliar em todo o processo, incluindo a definição da estrutura jurídica e o enquadramento tributário. Nas etapas da formalização, é preciso solicitar a autorização dos seguintes órgãos:

  • Junta Comercial;
  • Secretaria da Receita Federal, para a abertura do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);
  • Prefeitura, para a obtenção do alvará de funcionamento;
  • entidade sindical patronal, para o recolhimento anual de contribuição;
  • Caixa Econômica Federal, para cadastro no sistema;
  • Conectividade Social (INSS/FGTS);
  • Corpo de Bombeiros, para certificado de conformidade com as normas vigentes;
  • Anvisa e secretarias estaduais e municipais de saúde, para a obtenção do alvará de licença sanitária.

Agora você sabe como abrir uma clínica médica no país. Trata-se de um processo bastante complexo, o qual deve ser conduzido com bastante cautela e envolver profissionais especializados, que entendam de questões burocráticas. Por esse razão, muitos empreendedores optam pelas franquias, pois são modelos de negócios lucrativos e, por estarem estruturados, mais simplificados.

Se este conteúdo foi útil e relevante para você, compartilhe-o já em suas redes sociais para que seus contatos também fiquem por dentro do assunto!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up