Saúde da Mulher

Candidíase de repetição: entenda o que é e como se prevenir

abril 2, 2019
Tempo de leitura 6 min

A candidíase é um problema de saúde que a maior parte das mulheres enfrenta em algum momento da vida. Apesar de ser muito comum, muitas pessoas ainda sentem timidez ou receio de falar sobre o assunto e, por isso, não tiram suas dúvidas com o médico e acabam apresentando o problema mais vezes.

Existe ainda a candidíase de repetição, que é quando a infecção se manifesta diversas vezes na mesma mulher. No texto de hoje, falaremos sobre esse problema de saúde, suas causas, tratamentos e prevenção. Acompanhe!

O que é a candidíase de repetição?

A candidíase é uma infecção vaginal causada pela Candida albicans, um fungo que vive no intestino e no canal vaginal das mulheres. Normalmente, esse fungo vive em harmonia com as outras bactérias da flora vaginal, mas, devido a alguns desequilíbrios, pode se multiplicar além do normal e causar a doença.

Os sintomas da candidíase são:

  • coceira na vulva e dentro da vagina;
  • ardência ao urinar;
  • dor durante a relação sexual;
  • corrimento vaginal branco e espesso.

Algumas mulheres acabam apresentando a candidíase de repetição ou recorrente, que é definida como 4 ou mais episódios de candidíase em um ano.

A maior parte dos diagnósticos de candidíase se dá por meio do exame físico realizado pelo médico ginecologista. Nesse exame, a vulva apresenta-se avermelhada, os pequenos lábios estão inchados e há pequenas fissuras na entrada no canal vaginal, além da presença do corrimento da parede vaginal.

Quando há dúvida sobre o diagnóstico, pode ser feita a coleta do material vaginal para posterior análise em laboratório, em busca da visualização dos fungos no local.

Quais as causas do problema?

Existem diversos fatores que estão associados à candidíase de repetição. Normalmente, as causas da candidíase normal se somam a outras questões de saúde da mulher, fazendo com que a infecção se repita. Listamos as principais causas.

Alimentação rica em açúcares e doces

A presença no sangue de altos níveis de glicose, molécula proveniente da quebra de carboidratos e doces, altera o pH da vagina, deixando o ambiente mais ácido e propício para a proliferação da cândida. Além disso, a glicose serve também como alimento para o fungo.

Diminuir a ingestão desse tipo de alimento ajuda a prevenir a ocorrência da infecção, principalmente em mulheres com diabetes. Os alimentos a se evitar são:

  • doces e balas em geral;
  • refrigerantes;
  • massas e pães;
  • produtos industrializados adoçados.

Uso de hormônio

O uso de hormônio, presente nos anticoncepcionais ou na terapia de reposição hormonal, também é uma causa do surgimento de candidíase. O estrogênio, principalmente, aumenta a circulação sanguínea na região vaginal, tornando o local mais quente e úmido. Além disso, altos níveis hormonais também alteram o pH da vagina. Todas essas alterações aumentam a chance do desenvolvimento da infecção.

Uso de antibióticos

Os antibióticos de largo espectro (medicamentos que atingem grande número de microrganismos nas doses terapêuticas) podem desorganizar a flora vaginal, matando algumas das bactérias “do bem” que vivem no local. Essa mudança na flora causa um desequilíbrio que pode contribuir para o aparecimento da candidíase.

Isso acontece pois o fungo passa a ter um ambiente propício para se reproduzir, já que não compete mais por espaço e alimento com as outras bactérias.

Deficiência imunológica

O sistema imunológico é um dos responsáveis por manter o equilíbrio da flora vaginal. Por isso, a queda da imunidade é um dos principais fatores que levam ao aparecimento da candidíase, tanto a comum como a de repetição.

A baixa na imunidade pode ser temporária, como no caso do uso de antibióticos ou medicamentos imunossupressivos, ou de longo prazo, como em pessoas com diabetes descompensada ou portadoras do vírus HIV.

Estressores para o corpo

A saúde emocional tem muita influência sobre a saúde física, de forma que, muitas vezes, o corpo vê diversos fatores como estressantes para o organismo, mesmo que sejam comuns no nosso dia a dia. O estresse pode influenciar no aparecimento e na repetição da candidíase, principalmente porque desregula o sistema imunológico.

Os fatores estressantes podem ser:

  • falta de sono;
  • exercício físico extenuante;
  • questões emocionais difíceis, como ansiedade, raiva e tristeza.

Como é feito o tratamento?

O tratamento para a candidíase de repetição precisa ser mais agressivo que o tratamento feito para a infecção comum, de forma a garantir que a mulher fique livre do problema. É preciso ter paciência e constância para que a terapêutica realmente funcione.

Enquanto o tratamento comum pode ser feito com uma dose única de medicação, a candidíase de repetição exige cuidado por meses. O médico ginecologista é o responsável pelo diagnóstico e acompanhamento da candidíase de repetição, por isso o primeiro passo é sempre procurar um profissional de confiança.

O tratamento medicamentoso é feito com o uso de um comprimido de fluconazol por semana por 6 meses. Esse medicamento, um antifúngico oral, pode ser aliado a técnicas alternativas, como:

  • banhos de assento com bicarbonato de sódio;
  • homeopatia;
  • uso de camomila, alho, óleo de coco.

Além disso, o ginecologista deve também fazer um entrevista completa a fim de descobrir os fatores predisponentes relacionados à mulher, a fim de identificar quais hábitos precisam ser mudados. Esses fatores incluem:

  • hábitos alimentares;
  • prática de atividade física;
  • higiene;
  • vestimenta;
  • estado emocional;
  • outros hábitos de vida.

Como se prevenir?

Existem ainda algumas formas de prevenir a candidíase de repetição e a infecção comum, que devem ser feitos também durante o tratamento. As principais dicas de prevenção são:

  • utilizar antibióticos apenas com indicação médica;
  • ter uma alimentação balanceada, sem exagero de leites e derivados, açúcares e doces;
  • evitar ficar por muito tempo com biquínis ou roupas molhadas, que aumentam a umidade na região, tornando-a mais propícia para o fungo;
  • preferir calcinhas com tecido de algodão e evitar peças muito justas;
  • procurar dormir bem e reduzir o estresse diário;
  • após evacuar, sempre realizar a limpeza “da frente para trás”, e nunca ao contrário;
  • praticar exercícios físicos, que ajudam no fortalecimento da imunidade.

Mesmo sendo um problema de saúde comum, o ideal é que sempre o médico ginecologista faça o exame, pois é ele quem fecha com certeza o diagnóstico clínico. Isso é ainda mais importante no caso da candidíase de repetição, pois a infecção costuma estar relacionada a outras questões de saúde, que podem ser melhor acompanhadas pelo especialista.

Agora que você sabe mais sobre como cuidar da saúde feminina, que tal não perder tempo e agendar uma consulta com ginecologista em uma de nossas clínicas? Acesse nosso site e encontre a mais próxima de você!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up