Saúde da Mulher

Câncer de colo de útero: entenda o que é e como funciona o tratamento

julho 29, 2019
Tempo de leitura 6 min

Segundo dados do INCA, o câncer de colo do útero foi o terceiro mais prevalente em mulheres em 2018. No mundo, espera-se a ocorrência de 530 mil casos novos da doença por ano e, no Brasil, para 2018 foram esperados mais de 16 mil. Esse câncer é a quarta causa de morte pela enfermidade, que acomete as mulheres, sendo responsável por 265 mil óbitos por ano.

O câncer de colo do útero é causado por uma replicação sem controle e desordenada do epitélio (ou camada) que reveste o órgão, o que compromete o tecido abaixo dele, chamado de estroma, e pode invadir outras estruturas.

Essa é uma doença de desenvolvimento lento, que pode evoluir sem sintomas ou com sinais que passem despercebidos. Por esse motivo, e devido a sua alta incidência, é fundamental se informar sobre o que causa o câncer de colo do útero, quais são os sintomas quando presentes e como é feito o diagnóstico, a prevenção e o tratamento. Neste artigo você encontrará essas informações. Confira!

O que é o câncer de colo do útero?

O câncer, de forma geral, acontece quando há algum erro nos processos do organismo ou estímulo de agentes patogênicos. Dessa forma, as células começam a se multiplicar de forma desordenada e descontrolada, invadindo tecidos e órgãos.

No caso do câncer de colo do útero, a proliferação maligna de células acontece na parte inferior do útero, mais especificamente na região em que o órgão conecta-se com a vagina e se abre-se para a saída dos bebês durante o parto.

Os cânceres de colo de útero normalmente são o carcinoma de células escamosas ou adenocarcinomas. O primeiro, também chamado de epidermoide é o mais comum, representando cerca de 90% dos casos. Já o segundo é mais raro (apenas 10% dos casos) e acomete o epitélio glandular.

Qual é a causa desse problema?

Geralmente o câncer de colo do útero surge quando há uma mutação genética nas células dessa região, o que ocasiona a sua multiplicação descontrolada. Essa mutação está frequentemente relacionada a alguns tipos de vírus HPV.

O HPV, também chamado de papiloma vírus humano, é um agente patogênico que infecta mucosas e a pele. A sua ação no local é capaz de criar verrugas e lesões precursoras de câncer no útero, na garganta ou no ânus. Esse vírus é transmitido pelo contato pele a pele, mais comumente durante o ato sexual (98%), sendo considerada inclusive uma doença sexualmente transmissível.

Atualmente já foram mapeados mais de 150 tipos de HPV e entre eles sabe-se que 14 são capazes de causar lesões precursoras de cânceres. Os tipos 16 e 18 são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero, enquanto os tipos 31, 33 e 45 são vírus menos comuns, mas que também podem causá-lo.

É importante salientar que o vírus pode ficar incubado sem se manifestar por mais de 20 anos. Dessa forma não é possível determinar em que período da vida ele foi contraído

Quais são os sintomas mais comuns?

O câncer de colo uterino é uma patologia que tem um desenvolvimento muito lento. Nas fases iniciais não existem sintomas e, quando esses se apresentam, é comum que o câncer esteja em fases mais avançadas.

Nesse caso, a mulher pode ter sangramento vaginal ou dores durante as relações sexuais, devido a manipulação do colo. O sangramento anormal entre as menstruações ou até após a menopausa também é um sinal de alerta. Outro sinal é o corrimento vaginal com odor e coloração diferente do comumente apresentado pela mulher.

Casos mais avançados podem apresentar anemia, devido a perda de sangue, dores nas pernas e costas, fraqueza, problemas urinários ou intestinais e perda de peso sem intenção de emagrecer.

Como é feito o diagnóstico?

Como falado, nos primeiros anos de evolução da doença não há sinais ou sintomas. Dessa forma, o diagnóstico do câncer de colo uterino só pode ser feito se a mulher realiza exames de prevenção, como o papanicolau.

Nesse exame o médico ginecologista observa o colo do útero e verifica se há lesões visíveis. Além disso, é colhido material que será analisado por laboratório. Assim é possível avaliar se há lesões microscópicas que podem se tornar um câncer de colo do útero. Dessa forma o papanicolau não detecta o HPV, mas sim a disfunção das células do colo.

Caso o exame indique uma alteração, serão empregados métodos diagnósticos para avaliar a situação. Um desses é a colposcopia, em que o ginecologista aplica substâncias que reagem com as células afetadas e permitem que a observação seja feita a olho nu. Se for necessário, o médico também pode realizar uma biópsia do tecido.

As lesões de baixo grau identificadas pela colposcopia são muito frequentes e, na maioria das vezes, desaparecem sozinhas e sem tratamento. No entanto, é fundamental manter o acompanhamento com o médico para evitar que a lesão evolua. Já as lesões de alto grau apresentam chances maiores de se tornarem câncer de colo do útero caso não tratadas.

E o tratamento?

Se for confirmada a presença de uma lesão com potencialidade para câncer é possível fazer uma eletrocirurgia.

Já o tratamento para casos de câncer do colo do útero devem ser avaliados e orientados por um oncologista, visto que ele depende do estágio da evolução da doença, da idade da mulher e se ela deseja ter filhos. Entre as opções de tratamento estão cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Como posso me prevenir contra o câncer de colo do útero?

O exame de papanicolau deve ser feito anualmente por todas as mulheres acima de 25 anos e que já iniciaram atividade sexual há, no mínimo, 3 anos. Alguns médicos, após resultados negativos, liberam a paciente para fazer o exame em um intervalo de tempo maior. Após os 64 anos ou após cirurgia de histerectomia, em que se retira o colo do útero, o exame deixa de ser necessário.

Atualmente, existem duas vacinas contra o HPV, que protegem o organismo dos tipos de vírus mais relacionados ao câncer de colo do útero. É recomendado que a vacina seja feita antes do início da atividade sexual. Dessa forma, pode ser realizada a partir dos 9 anos, para meninos e meninas.

E então, entendeu o que é o câncer de colo do útero e como é importante realizar a prevenção dessa doença? A Partmed Saúde e Medicina busca oferecer os melhores serviços para seus pacientes e pode te ajudar nesse cuidado. Entre em contato e saiba mais!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up