4 sintomas da catarata que você precisa estar atento!

Tempo de leitura 6 min

Você já ouviu falar de catarata? É capaz que já tenha escutado ao menos uma pessoa falar sobre essa doença. Essa enfermidade que atinge a área dos olhos é muito comum entre pessoas da terceira idade e pode acontecer com mais frequência do que se imagina. 

A catarata é uma doença na qual a pessoa vai perdendo a visão aos poucos e, em seu quadro mais grave, pode provocar cegueira. Por isso, o acompanhamento com especialista e a prevenção são os melhores tratamentos para esse problema. 

Pensando nisso, criamos este post para explicar um pouco mais sobre o que é e os sintomas da catarata para você ficar atento. Confira!

O que é a catarata?

A catarata é caracterizada pela opacidade do cristalino (lente natural dos olhos). Com o passar do tempo, o cristalino vai perdendo a transparência, interferindo na visão. A pessoa com a doença tem a visão nublada, o que torna mais difícil tarefas como ler, escrever e dirigir. Essa enfermidade pode causar também a vista cansada.

Ela tem desenvolvimento lento e, inicialmente, a catarata não interfere na visão, mas, aos poucos, começa a afetá-la. O uso de óculos e luz mais forte para leitura são os tratamentos iniciais indicados, mas, com o avançar da doença, pode ser necessário passar por alguma intervenção cirúrgica para evitar cegueira.

Quais os tipos da doença? 

Como mencionado, a catarata é uma doença ocular que se desenvolve lentamente. Por conta disso, ela pode afetar cada indivíduo de maneira diferente e suas causas também são variadas. Abaixo, vamos explicar um pouco sobre os 5 tipos da enfermidade.

Catarata relacionada à idade

Também conhecida como catarata senil, esse tipo se desenvolve por causa da idade. Ela pode ser dividida em três categorias:

  • catarata nuclear: se formam no centro da lente deixando o núcleo do olho opaco ou turvo. Geralmente, a região tende a ficar com coloração castanha ou amarelada;

  • catarata cortical: aparece em volta das extremidades do olho em forma de cunha;

  • catarata subcapsular posterior: afeta a parte de trás da lente. Tende a se formar de forma mais rápida que os outros dois.

Catarata congênita

Essa forma da doença está presente durante o nascimento ou é formada durante os primeiros meses do bebê. Esse tipo nem sempre apresenta sintomas e pode ser removida caso afete a visão da criança. 

É menos comum que a catarata de idade, se desenvolvendo caso a mãe pegue uma infecção ou faça abuso de substâncias alcoólicas e ilícitas durante a gravidez.

Catarata secundária

As cataratas secundárias estão relacionadas ao uso de medicamentos ou doenças. Diabetes e glaucoma são duas enfermidades que podem causar o problema. Além disso, quando não tratado, há chances de o quadro evoluir para cegueira. Entre os medicamentos indicados, o uso de esteroides é o principal.

Catarata traumática

Esse tipo de catarata se desenvolve após uma lesão no olho. Nesse caso, pode-se levar anos para que a doença apareça.

Catarata de radiação

A catarata de radiação acontece quando o paciente passa por algum procedimento ou tratamento envolvendo radiação, como a quimioterapia e radioterapia para tratar câncer.

Quais as causas da catarata?

Como explicado, cada tipo de catarata tem a sua causa e fatores de risco. A seguir, indicamos os mais comuns:

  • idade, especialmente acima de 65 anos;

  • diabetes;

  • exposição exagerada à luz sem proteção;

  • tabagismo;

  • uso exagerado de colírios corticoides;

  • doenças no interior do olho como glaucoma;

  • uso prolongado de medicamentos esteroides;

  • traumas na região do olho;

  • pressão arterial descontrolada por longo período de tempo;

  • inflamações oculares;

  • lentes oculares;

  • miopia elevada;

  • dermatite de contato;

  • histórico familiar.

Quais as formas de diagnosticar a catarata?

O diagnóstico da catarata é feito por um oftalmologista. Durante a consulta o médico poderá fazer perguntas sobre histórico familiar e sintomas, além de solicitar exames para que seja analisado o globo ocular. Entre os exames solicitados estão:

  • exame de lâmpada de fenda;

  • teste de acuidade visual;

  • oftalmoscopia;

  • exame de retina;

  • tonometria.

Caso desconfie que a criança está com catarata, os pais podem solicitar que sejam feitos exames para diagnosticar a doença. 

Quais os principais sintomas da catarata?

Por conta da nebulosidade no cristalino, o indivíduo com catarata sente dificuldade de enxergar com nitidez. Inicialmente, a pessoa vê como se fosse uma lente de óculos embaçada ou uma névoa na frente dos olhos. 

Com o desenvolvimento da doença, o paciente pode ter dificuldade de distinguir pessoas e feições, chegando ao ponto de enxergar apenas sombras e vultos. Veja abaixo os principais sintomas da catarata:

1. visão nebulosa: sensação que tem alguma coisa nos olhos impedindo de enxergar direito;

2. visão com brilho: enxergar pontos brilhantes ou manchas escuras diante dos olhos ou no perímetro lateral;

3. fotofobia (forte sensibilidade à luz): dificuldade de focar e se concentrar diante de luzes fortes, pode causar dores de cabeça;

4. dificuldades nas atividades diárias: dificuldades para fazer coisas normais do dia a dia como dirigir, ler e escrever.

É comum que a maioria dos sintomas estejam presentes em conjunto. Contudo, por conta da evolução lenta da catarata, geralmente eles não são notados. Isso pode fazer com que a pessoa se acostume com a baixa qualidade da visão.

Como funciona o tratamento?

Como mencionado, a catarata é uma doença com desenvolvimento lento e que, muitas vezes, tem o avanço interrompido com certos cuidados. Ainda nos estágios iniciais é indicado o uso de óculos de grau e luz mais forte para leitura como medidas terapêuticas. É recomendado visitar frequentemente o oftalmologista para que possa ser feito o acompanhamento e ajuste de grau sempre que necessário.

Nos casos mais avançados, o tratamento recomendado é a cirurgia de catarata. Esse procedimento consiste em substituir o cristalino opaco por uma lente intraocular. A cirurgia é simples e rápida, sendo realizada em poucos minutos. Com fácil recuperação, é possível voltar à rotina no dia seguinte, mas com algumas restrições.

A catarata é uma doença na qual o melhor tratamento é a prevenção. Por conta disso, é recomendado procurar um médico em caso de surgimento dos sintomas citados, além de manter o acompanhamento clínico durante o tratamento. Essa é a melhor maneira de evitar o avanço do quadro e manter uma visão saudável.

Agora que você já sabe mais sobre os 4 principais sintomas da catarata já pode ficar atento a eles, não é mesmo? Aproveite e assine nossa newsletter para receber mais informações como essa.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Scroll Up